A CRISE DOS DOIS D

Infelizmente só se fala em crise econômica em todos os seguimentos e isso tem afetado a saúde das pessoas, o cenário nada positivo tem contribuído para que as empresas montem estratégias para não fechar as portas e dentro deste contexto os funcionários tem que se adequar a essa nova realidade afetando muitas vezes a autoestima e sua produtividade, criando um clima negativo dentro das empresas.

No ritmo de muita competitividade e incerteza os colaboradores sofrem inúmeras pressões e uma delas é a psicológica, causando danos emocionais graves. A competição que tem seu lado positivo no contexto profissional se torna um gatilho para as doenças psicológicas, com certeza se você esta trabalhando ou foi demitido sabe como é angustiante essa incerteza, dormir e acordar sem saber se no dia seguinte estará empregado.

A demissão é um processo que causa grande impacto na vida do indivíduo afetando principalmente sua autoestima, por mais crítico que se encontre o mercado, nunca se esta preparado para enfrentar a crise desempregado, as pessoas pensam em vencer a crise em seus empregos, pagando suas dívidas e manter a família. Porém nesse processo muitos estão adoecendo, dores físicas, insônia, ansiedade exagerada, irritabilidade, transtornos alimentares, estresse e depressão são algumas características deste adoecimento.

Mas o que isso tem haver com a crise? Tem tudo haver, se a empresa esta em crise, ela demite e demissão é sempre um episódio muito traumático na vida do indivíduo, principalmente quando ele tem inúmeros compromissos familiares, ou seja, todos sofrem danos, porém aquele indivíduo que tem vários dependentes sofre ainda mais e isso também contribui para os quadros depressivos.

A depressão é uma doença silenciosa e pode matar, estima-se que 350 milhões de pessoas de todas as idades sofrem com esse transtorno e a perda do emprego ou ameaça de perdê-lo “acentua” todos esses sintomas que acabam comprometendo seu desempenho profissional e suas relações interpessoais.

Segundo pesquisa do IBGE a taxa de desemprego no quarto trimestre de 2016 chegou a 12% o que representa 12,3 milhões de desempregados no Brasil. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), 121 milhões de pessoas sofrem de depressão em todo o mundo e a doença ainda é confundida com tristeza normal, fazendo os sintomas passarem despercebidos.É a quarta principal causa de incapacitação em todo o mundo e, de acordo com projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2030 ela será o mal mais prevalente do planeta, à frente de câncer e de algumas doenças infecciosas.

De acordo com essas estatísticas vivemos uma crise, a crise do Desemprego e a crise da Depressão ( Crise dos Dois Ds ), onde as estatísticas não são nada animadoras e outro problema crescente neste ciclo é a mortalidade por suicídio. Segundo pesquisa feita no dia mundial da prevenção do suicídio, que é todo dia 10 do mês de setembro, o suicídio na maior parte dos casos são executados por pessoas com depressão, infelizmente independente de sexo, faixa etária ou qualquer outra característica.

É preciso um olhar minucioso neste problema e urgentemente investir em soluções, afinal “cuidar da mente é cuidar da vida”.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Não se culpe;
  • Não tenha medo;
  • Não sinta vergonha;
  • Pense positivo;
  • Invista em cursos para valorizar ainda mais seu currículo;
  • Prepare-se para uma entrevista de emprego;
  • Faça uma pesquisa sobre a empresa que deseja trabalhar;
  • Renove sua rede de networking;
  • Curta a família;
  • Pratique exercícios físicos, meditação, yoga;
  • Seja criativo;
  • Mantenha contato com pessoas que te fazem bem;
  • Cuide da sua saúde mental;
  • Reorganize as dívidas;
  • Cuide da sua autoestima.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou desse artigo ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

One thought on “A CRISE DOS DOIS D

Deixe uma resposta