AEROFOBIA ( MEDO DE VOAR )

Ter medo de voar é mais comum do que se imagina, porém quando esse medo paralisa impossibilitando a pessoa de seguir sua rotina é necessário ajuda médica, evitando assim falsos diagnósticos. A aerofobia é o medo de voar seja de avião ou helicóptero é comum essa fobia estar interligada com outras fobias como claustrofobia (medo de espaços fechados e confinados) ou acrofobia (medo de altura) e tem se tornado muito frequente nesse ciclo da vida moderna. As pessoas que sofrem com esse problema sofrem muito e ficam angustiadas quando isso atrapalha os planos de viagem da família quando o único recurso para fazer a viagem dos sonhos é de avião, afeta a autoestima e em casos mais graves contribui para a depressão.

Outro fator preocupante são aquelas pessoas que tomam remédio para controlar essa ansiedade por conta própria, isso é grave, a automedicação pode trazer graves consequências, podendo agravar a doença, além de esconder os sintomas. Atenção!  O uso de remédios de maneira incorreta ou irracional pode trazer, ainda, consequências como: reações alérgicas, dependência e até a morte, evite a automedicação, procure um médico.

Mas o que é fobia? É um medo persistente e irracional de um determinado objeto, animal, atividade ou situação que represente pouco ou nenhum perigo real, mas que, mesmo assim, provoca ansiedade extrema. A fobia costuma ser de longa duração, provoca intensas reações físicas e psicológicas e pode comprometer seriamente a qualidade de vida de quem a tem.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Doenças Mentais, a fobia simples pode ser dividida em, pelo menos, cinco categorias:

  • Animais (aranhas, cobras, sapos, etc.);
  • Aspectos do ambiente natural (trovoadas, terremotos, etc.);
  • Sangue, injeções ou feridas;
  • Situações (alturas, andar de avião, elevador ou metrô, etc.);
  • Outros tipos (medo de vomitar, contrair uma doença, etc.).

Os sinais e sintomas dependem muito do tipo de fobia que você tem. No entanto, independentemente do tipo, algumas características são notadas em todos os indivíduos que apresentam fobias:

  • Sentimento de pânico incontrolável, terror ou temor em relação a uma situação de pouco ou nenhum perigo real;
  • Sensação de que você deve fazer todo o possível para evitar uma situação, algo ou alguém que você teme;
  • Incapacidade de levar sua vida normalmente por causa de um medo ilógico;
  • Presença e aparecimento de algumas reações físicas e psicológicas, como sudorese, taquicardia, dificuldade para respirar, sensação de pânico e ansiedade intensos, etc;
  • Saber que o medo que sente é irracional e exagerado, mas mesmo assim não ter capacidade para controlá-lo.

Algumas fobias mais comuns:

  • Acrofobia – medo de altura;
  • Agorafobia – medo de lugares abertos, de estar na multidão, lugares públicos ou deixar lugar seguro;
  • Aerodromofobia – medo de viagens aéreas;
  • Aracnofobia – medo de aranhas;
  • Azinofobia — medo de ser agredido pelos pais;
  • Claustrofobia – medo de espaços confinados ou lugares fechados ou seja, o oposto da agorafobia;
  • Coulrofobia — medo de palhaços.

O apoio da família neste contexto é muito importante, aliado as terapias, reforçando a importância do tratamento que pode ser lento, porém extremamente eficaz, portanto não desista.  Quem cuida da mente, cuida da vida!

Dicas de Bem com a Vida

  • Pratique exercícios físicos;
  • Evite pessoas negativas;
  • Tenha uma boa noite de sono;
  • Pratique Yoga / Meditação;
  • Evite sofrer por antecipação, pense em coisas boas;
  • Não seja uma pessoa que vive para agradar os outros;
  • Enfrente gradualmente seus medos;
  • Não tome remédio sem orientação médica;
  • Quando perceber que pode ter uma crise de ansiedade, relaxe, respire, tente ficar calmo;
  • Se não conseguir controlar sua ansiedade procure ajuda de um especialista.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente

Dilza Santos

Deixe uma resposta