CRIANÇAS E O MUNDO VIRTUAL

Atualmente tem se discutido o uso desenfreado da internet precocemente, fato este preocupante e tem gerado um certo desconforto em alguns pais ao se falar do assunto. Imagine uma seguinte situação: Uma criança de 6 anos apresenta dificuldade na fala, não gosta de se relacionar com outras crianças e nem com os pais, em seu discurso a vida só existe no mundo virtual.

E segundo o relato dos pais a criança não sai do tablete, aos 2 anos ganhou seu primeiro tablete e desde então nunca mais se separou deste pequeno aparelho que para ela virou referência. Infelizmente histórias como essa se repete em muitos lares, os brinquedos estão perdendo espaço para os aparelhos eletrônicos e as famílias cada vez mais distantes.

É importante reforçar que criança precisa ser criança, brincar, correr, interagir com outras crianças, cair, levantar, e um item que não pode faltar na educação dos filhos são os limites, quem ama educa!Recentemente a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) redigiu um documento com 50 normas para pais, pediatras, educadores, crianças e adolescentes sobre como lidar com a internet.

Este documento é voltado para pais, pediatras e educadores e traz regras práticas como, por exemplo, deixar que crianças de 2 a 5 anos fiquem só uma hora por dia no computador ou similares e não permitir que crianças de 0 a 10 anos usem computador ou televisão em seus próprios quartos. É a primeira vez que normas desse tipo são editadas no Brasil e especialmente adaptadas para a realidade do nosso país.

Nós últimos anos os aparelhos eletrônicos ganharam espaço não só no quarto das crianças, mas na vida delas, muitas se apegam aos personagens virtuais por falta de atenção e afeto da própria família. Não podemos descartar que há benefícios e malefícios nesta nova geração da tecnologia digital, porém é extremamente importante as informações adequadas e o bom senso, ou seja, os limites fazem parte deste contexto.

O contato com a família, amigos, brincar, sorrir, conversar olho no olho jamais poderá ser substituído por um mundo virtual.E lembrando que criança tem que ser criança e o uso da internet tem que ser controlado pelos pais e responsáveis da criança, nada de jogos violentos, respeitar os horários das refeições e do sono, sendo este de grande importância para a saúde além de incentivar seu filho a viver no mundo real.

É importante frisar que as crianças de hoje serão os adolescentes de amanhã, muitos adolescentes passam horas isolados no quarto, se alimentam mal, perdem horas preciosas de sono, causando danos à saúde. Tudo em excesso faz mal! Ao perceber que algo esta fora do controle, procure ajuda! A ajuda de um profissional especializado é fundamental, porém a família tem que estar envolvida, este acolhimento é muito importante e contribui no processo de cura.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Os limites fazem parte da educação;
  • Demonstre afeto, amor, fortaleça os vínculos familiares;
  • Tudo em excesso faz mal;
  • Se torne um modelo de referência para seu filho;
  • Evite filmes ou jogos violentos;
  • Desconecte-se do mundo virtual e conecte-se com sua família;
  • Converse com seu filho sobre os valores familiares;
  • Estabeleça regras e limites;
  • Crie redes de proteção e segurança online;
  • Não faça da internet sua razão de viver;
  • Alerte dos perigos da internet;
  • Reforce a importância de se ter uma boa noite de sono;
  • Reforce a importância de se ter uma boa alimentação;
  • Não permita que seu filho fique horas isolado no quarto, chame-o para fazer um programa em família.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Deixe uma resposta