ESTRESSE INFANTIL

Você já percebeu que a agenda das crianças esta igual a dos adultos? O fato é que esses mini-executivos estão adquirindo doenças de gente grande. Destaco que o excesso de atividade causa problemas de saúde em qualquer pessoa e nas crianças além de causar danos à saúde prejudica uma fase importante de seu desenvolvimento.

Criança precisa ser criança, precisa brincar interagir com outras crianças isso é fundamental para seu desenvolvimento, sobrecarregá-la de atividades não ajuda em nada, tudo tem o tempo certo para ser feito, é preciso fazer um cronograma que seja inserido o momento de lazer, o momento de interagir com os amigos a família. Fortalecer os vínculos familiares é fundamental e o brincar contribui neste processo.

O estresse infantil pode ocorrer em crianças de qualquer idade, afeta meninos e meninas, sendo mais difícil de diagnosticar, neste contexto é preciso investigar minuciosamente os sintomas descritos pela criança e pelos pais.  Infelizmente a criança por não saber descrever o que esta sentindo acaba sendo rotulada de criança malcriada, birrenta ou mimada. Mas na verdade esta sofrendo com a pressão da rotina diária, em outras palavras esta estressada.

É comum ver as agendas dos pequenos com inúmeras atividades e tempinho livre, nem pensar. Fato este que tem levado as crianças à exaustão e com isso sintomas como: irritabilidade, distúrbios do sono, distúrbios alimentares, dor na cabeça, dor no corpo, estresse e depressão tem se tornado uma queixa comum nos consultórios de psicologia. Muito cuidado com o excesso de atividade inserida no dia a dia das crianças, isso não é saudável!

Tudo tem o tempo certo para acontecer, acelerar esse processo com os pequenos pensando em torná-los adultos super preparados para o mundo moderno e para o futuro, não é saudável, exigir que ele seja o aluno que só tire 10 nem sempre é o melhor caminho. É importante trabalhar nossas frustrações para não passá-las aos nossos pequenos. Educar dá trabalho, porém o amor, a atenção a convivência familiar deixa essa tarefa leve e prazerosa. Vamos refletir!

Outro vilão que tem contribuído para o estresse infantil é o Bullying causando danos muitas vezes irreparáveis, é preciso atenção dos pais as mudanças de comportamento da criança, bullying é um ato cruel que pode levar a depressão e o suicídio. E o mais grave é que muitas vezes o bullying ocorre dentro de casa, os próprios pais causam danos psicológicos com agressões verbais e físicas. E isso contribui para o adoecimento da criança afetando sua autoestima, causando o estresse e a depressão na infância.

Uma pesquisa recentemente realizada com 220 crianças entre 7 e 12 anos de idade nas cidades de Porto Alegre e São Paulo, revelou que oito a cada dez casos em que os pais buscam ajuda profissional para seus filhos por causa de alterações de comportamento têm sua origem no estresse. (Pesquisa da  International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR).

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Reflita sobre a agenda cheia do seu filho;
  • Fortaleça os vínculos familiares;
  • Crie momentos de lazer com seu filho;
  • Respeite o tempo da criança;
  • Fique atento nas mudanças de comportamento de seu filho;
  • Se a criança se queixar de algumas dores, procure um medico;
  • Faça um cronograma sem exageros;
  • Leia uma historinha com seu filho;
  • Não passe sua ansiedade para seu filho;
  • Respeite os limites de seu filho;
  • Muito cuidado com a superproteção pode também desencadear o estresse infantil;
  • Brinque, desperte a criança adormecida em você sem estresse;

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe o seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais no site, nas entrevistas para televisão, rádio, assim como, para a minha coluna semanal ( De Bem Com a Vida ) no Jornal do Commércio.

Atenciosamente

Dilza Santos

Deixe uma resposta