PEQUENAS MANIAS OU DOENÇA?

Recentemente uma pesquisa revelou que todo mundo tem mania e convive muito bem com elas, muitos nem percebem que as tem, porém quando essas manias começam interferir no seu cotidiano, ocupando tempo, causando prejuízo, sofrimento e energia mental além do que deveria é importante procurar ajuda.

É comum confundir mania com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) este que por sinal é doença grave, pois causa sofrimento e a pessoa não consegue evitá-lo. É um transtorno que pode se desenvolver em qualquer idade e por mais que a pessoa tente evitar tais pensamentos obsessivos vai além do seu controle, ao contrário do que se pensa existem milhões de pessoas enfrentando este transtorno.

Cerca de 4,6 milhões de brasileiros são portadores de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) podendo se manifestar em diferentes aspectos. É considerado uma das vinte causas em queda de qualidade de vida das pessoas e pode ser diagnosticado em crianças a partir dos cinco anos de idade.

É normal se ter algumas manias, muitas manias nos ajudam a ser organizados, faz a gente ser sistemático, responsável, faz parte da nossa personalidade essas características. Mas quando isso vem com sofrimento, limitações, dificuldade de se relacionar com as pessoas e esta afetando nossa vida profissional é preciso procurar ajuda.

Em geral esses comportamentos vem acompanhados com uma enorme  ansiedade que as vezes não são reconhecidas como sintomas de uma doença o que faz com que as pessoas afetadas não busquem tratamento ou demorem muito para fazê-lo. Portanto se perceber que esses rituais estão constantes, tomando o seu tempo, interferindo em sua vida pessoal e profissional é hora de buscar ajuda psicológica.

O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) é caracterizado pela manifestação repetida de obsessões, compulsões ou de rituais, a enfermidade pode prejudicar intensamente a vida pessoal e profissional dos doentes. Todo TOC tem sofrimento, todo TOC tem tratamento. O tratamento é feito com uma combinação de medicamentos antidepressivos e psicoterapia. É extremamente importante levar a sério o tratamento, muitos pacientes desistem do tratamento achando que será perca de tempo e não é! Pode até ser longo, mas tem um excelente resultado.

O tratamento começa a fazer efeito entre um e três meses e pode durar por anos, dependendo da gravidade do caso. Para alguns pacientes, com obsessões e compulsões mais graves, as medidas devem ser administradas por toda a vida. Em São Paulo, médicos do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital do Coração (Hcor), em parceria com o Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, estão realizando um procedimento que pode servir como opção de tratamento para os casos mais graves. Trata-se de uma cirurgia realizada com um aparelho chamado Gamma Knife.

O equipamento emite uma radiação precisa e reduz a atividade de um circuito de neurônios que, no caso da enfermidade, apresenta uma ação exacerbada. Ele faz a conexão entre o sistema límbico (associado à indução da repetição das atividades) e o córtex frontal basal (relacionado à lógica)

 Dicas de Bem com a Vida

  •  Procure um profissional para ter o diagnóstico;
  • Crie um pequeno jardim em casa;
  • Aos poucos vá se desapegando dos rituais (com ajuda de um psicólogo);
  • Quebre o padrão das manias;
  • Lute contra o preconceito de procurar um profissional da saúde mental;
  • Canalize sua atenção para coisas positivas;
  • Faça exercícios físicos;
  • Faça novas amizades;
  • Preocupe-se menos com a ordem das coisas;
  • Leve a sério a terapia;
  • Pratique Meditação / Yoga;
  • Controle o TOC, não deixe o TOC controlar você!

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente

Dilza Santos

Deixe uma resposta