SÍNDROME DO NINHO VAZIO

A síndrome do ninho vazio é muito comum após a saída dos filhos de casa. Quando os filhos se tornam independentes e cada um resolve cuidar da sua própria vida os pais sentem essa ausência, principalmente a mãe. Neste contexto pode se instalar sintomas da depressão, muito comum nesse processo, esse sofrimento ocorre às vezes bem antes da fase adulta, quando os filhos resolvem estudar fora ou casam-se muito cedo.

O fato é que essa saída causa sofrimento, porém é importante observar se essa tristeza será prolongada ou não. A síndrome do ninho vazio é pontual, mas se este sofrimento perdurar e começar a interferir no cotidiano da pessoa, pode se transformar em depressão.

Infelizmente as mulheres nesse processo tem um outro vilão que contribui para esse estado emocional debilitado que é a menopausa, fato este que não pode ser ignorado, pois afeta muito a autoestima da mulher, muitas se acham feias, debilitadas, sem função nenhuma. É fundamental o papel da família nesse contexto, ocupar a mente fazer exercícios físicos, conhecer pessoas novas, cuidar da alimentação, fazer praticas meditativas também ajudam nesse processo.

A adaptação a uma nova realidade é fundamental nesse processo de mudança e leva tempo, porém não podemos descartar que cada pessoa tem uma reação diferente da outra, cada caso é um caso. Existem pais que encaram a saída do filho de casa com muita alegria, sentem-se orgulhosos em ver o filho conquistando seu espaço, se realizam com suas conquistas pessoais e profissionais.

Em outros casos, o sofrimento é visível causando até a depressão. Mesmo sendo certo que isso um dia vai acontecer nunca se prepara para tal fato. Às vezes é menos doloroso quando os pais participam desse processo, ou seja, no casamento, estudar fora, uma proposta de trabalho para outro país, momentos de alegrias que muitas vezes entram em conflito com o sentimento de tristeza deixado no momento da partida.

Quando a partida se deu por conflitos familiares ou morte é muito mais difícil, lenta e dolorosa a recuperação, ou seja, briga com os pais, irmãos ou morte a dor é muito mais intensa e tem maior duração. E sendo por bons motivos, como casamento, faculdade ou até mesmo morar sozinho, mas com a participação dos pais, o processo torna-se menos doloroso.

O que poucos filhos sabem é que nesse processo há uma inversão de papéis, com os filhos passando a ter o papel de pais, principalmente da mãe. O acolhimento, o amor, a atenção e muita tolerância são ferramentas indispensáveis nesse contexto. É fundamental que eles se sintam amados, importantes para a família que são e sempre serão amados por todos mesmo morando em outra casa.

 DICAS DE BEM COM A AVIDA

  •  Pensamento positivo;
  •  Esse recomeço é necessário para um novo ciclo;
  •  As mudanças fazem parte do ciclo da vida, não veja como problema;
  •  Converse com pessoas, aumente sua rede  de contatos;
  •  Você sempre foi e sempre será um excelente pai ou mãe;
  •  Cuide da sua saúde;
  •  Pratique atividades físicas;
  •  Ocupe sua mente com coisas boas;
  •  Seu filho continuará sendo seu filho;
  •  Crie novos hábitos;
  •  Se possível faça uma viagem com seu esposo, planeje uma nova lua de mel;
  •  Namore com seu companheiro, curta seu casamento;
  •  Planeje cuidar mais de você e de seu bem estar;
  •  Se possível mude de casa;
  •  Pratique meditação / Yoga;
  •  Tenha novos objetivos na vida;

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Deixe uma resposta