conflito

inveja

Quando a inveja vira doença

 

Inveja: Por que será que a grama do vizinho é sempre mais verde que a sua? Ou por que tudo da certo para ele e não pra mim? Sentimentos como esse muitas vezes viram obsessão ou contribuem para o adoecimento do indivíduo. Podemos destacar inúmeros motivos que levam algumas pessoas a alimentarem esse sentimento negativo, que traz muito sofrimento para quem tem e quem é perseguido pelo invejoso.

A inveja

O invejoso também é uma vitima de si mesmo. Porque ele nunca esta feliz, mesmo conseguindo o objeto desejado ele não consegue satisfazer o desejo de possuir o que o outro tem.

Segundo o dicionário a inveja é o desejo violento de possuir o bem alheio. Também considerada um dos pecados capitais porque uma pessoa invejosa ignora suas próprias bênçãos e prioriza o status de outra pessoa no lugar do próprio crescimento espiritual, o desejo exagerado por posses, status, habilidades e tudo que outra pessoa tem e consegue é um sentimento maléfico que traz danos para os dois lados, porque no fundo o invejo não é feliz, principalmente por ignorar tudo o que é e possui para cobiçar o que é do próximo.

A inveja é frequentemente confundida com o pecado capital da avareza, um desejo por riqueza material, a qual pode ou não pertencer a outros. A inveja na forma de ciúme é proibida nos Dez Mandamentos da Bíblia. Do latim invídia, que quer dizer olhar com malícia. Mas como se defender dos olhares negativos de indivíduos que muitas vezes se fazem de amigos e na verdade são vampiros, que sugam toda nossa energia nos deixando às vezes de cama. E quem disse que inveja não mata? Mata sim!!!

Em todos os aspectos esse sentimento ruim transmite uma energia pesada, adoece o outro e até chega à violência psicológica, agressões físicas e pode levar a morte. Conta a Bíblia que por Deus ter aceitado a oferta generosa de Abel em detrimento da oferta avara de Caim, este movido pela inveja matou o próprio irmão. Portanto mata e muitas vezes faz a pessoa perder a própria identidade.

É importante frisar que a inveja é consequência de vários fatores um deles é a frustração, a baixa autoestima e a autoconfiança desequilibrada, fatores esses que contribuem para que o indivíduo crie essa obsessão pelo bem alheio. Para eliminar esse sentimento é preciso encontrar suas qualidades, reconhecer seus valores, olhar para si e resgatar sua autoconfiança. E fazer sempre aquela temida pergunta: Como eu me vejo? E quando esse sentimento negativo vir mude o foco.

O mais importante em tudo isso é não se deixar contaminar com pensamentos negativos. Se as coisas não aconteceram, você vai tentar de novo, o pensamento positivo faz toda diferença em nossa vida. Uma atitude otimista faz um bem danado! Norman Vicent Peale, autor de O Poder do Pensamento Positivo, em 1952 já dizia: “Mude seus pensamentos e você mudará seu mundo”. É importante fazer nossa mente trabalhar a nosso favor.

Procure ajuda se há algo te tirando do foco, que não consegue controlar, que esta dificultando sua relação com seus amigos, sua família, converse com um profissional. Viver de bem com a vida é fundamental para se adquirir mais qualidade de vida!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Ame-se;
  • Pensamento positivo sempre;
  • Pratique meditação;
  • Aprenda a ver o lado bom da vida;
  • Contribua com seu bem estar;
  • Descubra suas próprias qualidades;
  • Resgate sua autoestima;
  • Seja feliz sem ferir o outro.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe o seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais no site e também nas entrevistas para televisão, rádio, assim como, para a minha coluna semanal ( De bem com a vida ) no Jornal do Commércio.

Atenciosamente

Dilza Santos

Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

O CIÚME PATOLÓGICO MALTRATA

Recentemente recebi um e-mail sugerindo esse tema, uma de nossas leitoras esta sofrendo com um ciúme doentio e não sabe o que fazer para não perder o amor da sua vida. Neste e-mail ela relata sofrer com um ciúme incontrolável, já fez terapia, porém quando acha que esta bem interrompe o tratamento por conta própria e claro isso tem graves consequências, afinal quem dar alta ao paciente é o médico e neste caso quem poderia encerrar as sessões é seu psicólogo. As terapias na maioria das vezes são a longo prazo e quando o paciente desiste no meio do tratamento isso pode trazer inúmeros problemas. Portanto não pare tratamento nenhum sem o conhecimento de seu médico, se surgir dúvidas, pergunte, converse com seu médico ou terapeuta, até porque o ciúme quando doentio precisa de tratamento.

O ciúme faz parte de qualquer ser humano, pois é um sentimento ligado aos cuidados das pessoas que amam. Porém, quando esse “cuidar” da pessoa amada passa a ser uma obsessão, quando cresce a vontade de ter controle sobre a vida do parceiro e o relacionamento tem crises por ciúme e desconfiança é preciso buscar ajuda profissional, o ciúme doentio é um transtorno emocional que traz diversos prejuízos para a pessoa, para seu parceiro, para os amigos que muitas vezes tentam ajudar e são mal interpretados, infelizmente é devastador e traz muito sofrimento na vida de todos envolvidos.

Mas o que é realmente ciúme patológico? Qual a diferença entre o ciúme normal e o doentio? O ciúme normal é benéfico todos tem, em alguns casos até tempera a relação e aumenta a paixão o desejo. Esse cuidado com o outro não maltrata é visto como cuidado, proteção e amor.

O ciúme patológico (doentio) também conhecido como síndrome de Otelo. É o desejo inconsciente da ameaça de um rival, assim como o desejo obsessivo de controle total sobre os sentimentos e comportamentos do outro. Esse é maléfico, maltrata, causa insegurança, dor, tristeza, delírios ou seja desperta situações imaginárias, a traição é baseada em fantasias que o ciumento cria na sua cabeça, fato este extremamente perigoso porque ele realmente acredita que esteja sendo traído, mesmo sem fatos concretos.

Na verdade todos sofrem neste contexto, o ciumento, a vítima e a família de ambos, além de trazer sérios problemas na vida profissional, porque a pessoa não consegue se concentrar no trabalho preocupada com o que o parceiro ou parceira esta fazendo a cada minuto, e com as redes sociais esse sintoma só aumenta, onde se mistura com uma ansiedade incontrolável que leva o indivíduo a desencadear outros problemas emocionais. O acompanhamento psicológico é extremamente importante para o sujeito ciumento e a vítima. Nesse processo o acompanhamento da família é muito importante, isso ajuda o indivíduo a resgatar sua identidade, sua autoestima, outro fator importante é não interromper o tratamento, é fundamental o acompanhamento de um especialista. Não se iluda pensando que vai resolver o problema sozinho, procure ajuda!

Querida leitora, volte a terapia, esse é um problema que não se resolve sozinha é preciso a ajuda de um profissional

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Coloque-se no lugar do outro;
  • Ame-se;
  • Resgate sua autoestima;
  • Mantenha o autocontrole;
  • Perceba suas qualidades;
  • Pratique meditação/ioga, relaxe;
  • Pratique o diálogo;
  • Busque atividades que tirem você de pensamentos negativos;
  • Procure ajuda médica e psicológica quando a patologia estiver caminhando para níveis muito avançados;
  • Procure ajuda ou denuncie o seu parceiro (ou parceira) caso você esteja sendo vítima de agressões físicas ou ameaças;
  • Não seja inconveniente;

Click no link abaixo para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click no link abaixo para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

RECOMEÇAR É DIFÍCIL, MAS NÃO IMPOSSÍVEL !

É difícil colocar um ponto final e recomeçar algo, principalmente quando estamos envolvidos emocionalmente, quando lidamos com a emoção tudo é mais difícil. O medo, a insegurança nos paralisa quando o assunto é a relação a dois. Quando se ama, se ama! Não existe meio termo, por isso é tão difícil visualizar o que esta errado, pensa em acertos e comete-se os mesmos erros. Essa necessidade de amar mais o outro do que a si mesmo é uma armadilha imensa.

A dependência não é nada saudável, e quando se trata da relação a dois é extremamente prejudicial à saúde e nos tira do eixo. Ninguém é forte na hora de enfrentar a dor da perda, porém a quem mergulha na dor até a morte. Não se entra em uma relação pensando em fracassar e sim em prosperar, viver para sempre ao lado de quem se ama. Neste contexto o papel da família e dos amigos é muito importante, ajuda a mudar o foco para não entrar em depressão.

Planejar uma nova estratégia de vida é fundamental, se passado fosse bom estaria no presente, não se pode viver a sombra de uma relação que não tem mais jeito, isso é doentio, é preciso força para recomeçar e ser feliz.

Hoje com as redes sociais as brigas entre os casais são constantes, ambos ficam presos a seus aparelhos eletrônicos e não se comunicam mais, não se olha olho no olho e quando surge um problema, um culpa o outro, desconhecendo que a relação a dois depende dos dois e não de um, as agressões verbais e físicas ganham força e nunca acabam bem e aos poucos se instala uma relação adoecida e infeliz.

Muito se ouve! Você merece coisa melhor! Mas como falar para o viciado que a droga faz mal e esperar que ele deixe a droga no mesmo instante? Difícil, este é um processo lento, mas não impossível. É preciso pensar “se faz mal, deixa ir”, não se deve permitir matar nossos sonhos por uma relação que não vale à pena, o tempo passa tão rápido, é preciso saber viver, ter a consciência que se merece uma relação saudável e feliz!

Outro fator importante é a confiança monitorar constantemente o parceiro, analisar seus comportamentos a todo instante como uma espécie de raio x, examinar as amizades, verificar aparelhos celulares e redes sociais, ficar de vigília não é saudável. Erroneamente se alimenta uma relação por achar que jamais vai encontrar alguém e o medo de ficar sozinho é um fator que pesa na hora da decisão, outro fator que contribui para que não seja dado um basta é a dependência sexual, dificultando ainda mais o rompimento.

Ter um relacionamento doentio é prejudicial a todos, amigos, familiares, além de prejudicar muito a vida profissional, não se pode esconder os sintomas, mudança de humor, problemas de memória, agressividade são manifestos no ambiente profissional. A ajuda psicológica neste processo é extremamente importante, não tenha vergonha ou medo, fale com alguém procure ajuda, não permita que sua vida pare em função de alguém que não da à mínima para o que você sente ou deseja.

 DICAS DE BEM COM A VIDA

  •  Ame-se;
  •  Não tenha medo de recomeçar;
  •  Arrume-se primeiro pra você;
  •  Alimente-se bem;
  •  Pratique exercícios físicos;
  •  Renove seu ciclo de amizade;
  •  Evite pessoas negativas;
  •  Evite saber notícias do ex;
  •  Planeje uma viagem;
  •  Crie o hábito de meditar ou praticar yoga;
  •  Procure ajuda, converse com alguém ou procure um psicólogo.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

 

DEPRESSÃO PÓS-DESEMPREGO

É fato que a situação econômica no nosso país não esta nada favorável e nessa atmosfera negativa estão sendo desencadeados casos de depressão pós-demissão.  Mesmo tendo a visão deste cenário negativo na economia, não se deve parar no tempo, afinal de onde menos se espera surgem às oportunidades.

Segundo o IBGE o número de desempregados chegou a 9,6 milhões de pessoas, em média, o que representou alta de 6%, ou 545 mil pessoas, em relação ao trimestre de agosto a outubro de 2015. No confronto com igual trimestre de 2015, o número subiu 42,3%, o que representa 2,9 milhões de pessoas. Esse cenário é preocupante e muitas pessoas que perderam seus empregos estão adoecendo afinal não se esta preparado para vivenciar esse desafio e isso tem causado muitos problemas a saúde física e mental das pessoas.

O temor de ficar sem conseguir pagar suas contas, depender de familiares ou nunca mais se recolocar no mercado de trabalho é um sentimento comum neste contexto, todos tem seus compromissos e o medo de não conseguir pagar o aluguel, a faculdade, a parcela do carro contribui para o adoecimento e muitos perdem sua identidade. Fato este que afeta diretamente a autoestima, causando uma tristeza profunda, insônia, perda de apetite ou come-se compulsivamente. Em caso extremo causa o isolamento e a depressão.

O acolhimento da família, amigos é fundamental nesse processo e o acompanhamento psicológico é muito importante. É comum se observar que mesmo após a demissão algumas pessoas ainda permanecem psicologicamente no trabalho. Tanto que muitos acordam todos os dias no mesmo horário que iam trabalhar até certo tempo.

Infelizmente a demissão está psicologicamente associada a um dos maiores medos que o ser humano tem na vida: o medo do fracasso e o medo da rejeição. Portanto esse é um processo bem delicado e os impactos podem ser maiores do que se imagina. O que tem que ser entendido é que não se pode controlar tudo na vida, às vezes ganhamos, perdemos faz parte desse ciclo e cada um encara esse ganho ou essa perda de uma forma diferente, o acolhimento de pessoas próximas faz toda diferença na vida de quem acha que perdeu tudo.

Estar em um emprego que gosta e ainda assim esta sendo remunerado para isso é maravilhoso, porém há casos que isso é o ar que se respira, se perder isso morre! De fato morre! Por dentro, levando a depressão e muitas vezes ao suicídio. Portanto procure ajuda, acredite que na vida tudo tem uma saída e que um final pode sim ser um novo começo. Acredite em um novo amanhã!

Dicas De Bem Com a Vida

  • Pensamento positivo;
  • Não permita que o desespero tome conta de você;
  • Aproveite esse período para se especializar, desperte as aptidões que há em você;
  • Veja essa fase como um novo começo na sua vida;
  • Reative seus contatos, faça um bom networking;
  • Tire esse tempo para curtir a família, conversar com seus filhos ou velhos amigos;
  • Crie novos hábitos: como cuidar melhor da saúde, relaxar, namorar, pratique exercícios físicos.
  • Se possível faça uma viagem;
  • Você precisa de um tempo pra você, tire esse tempo;
  • Reforce sua fé, acredite de verdade que as coisas podem mudar para melhor;
  • Saia desse estado de baixo astral, renove-se;
  • Fuja dos vícios (álcool, remédios, cigarros etc.);
  • Veja esse momento como um mercado de oportunidades;

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente

Dilza Santos

A CRISE E SEUS EFEITOS PSICOLÓGICOS

Clique aqui e confira a matéria diagramada.

Atualmente vivemos em uma atmosfera pesada, coberta de dúvidas e incertezas, onde a insegurança aumenta a cada segundo, inúmeras pessoas perdendo seus empregos e o medo toma conta daqueles que sentem-se ameaçados profissionalmente. A crise financeira é uma porta aberta para outras crises, infelizmente o medo de não ser capaz de sustentar suas necessidades básicas, a ameaça de não ter o mesmo padrão de vida contribui para o desequilíbrio emocional, afeta a autoestima, as relações interpessoais e o mais preocupante pode levar a depressão.

Infelizmente essa instabilidade contribui para o adoecimento do indivíduo com o aumento da ansiedade, estresse, insônia, transtornos alimentares, uso de álcool ou até o suicídio. É importante frisar que cada indivíduo vivência esse momento de instabilidade de acordo com sua estrutura psicológica. Pessoas negativas, com autoestima baixa, que já passaram por uma crise emocional recente, estão mais vulneráveis.

Recentemente conversei com um grupo de pessoas em uma determina empresa onde estão vivenciando um clima instável, acorda-se todos os dias com aquela sensação que “será que é hoje”. E pergunto: Será que essas pessoas estão produzindo bem? Será que aqueles que estão manuseando máquinas pesadas estão com a atenção necessária? Percebo que o risco de um acidente de trabalho neste clima não é difícil, afinal a atenção esta comprometida, a ansiedade esta acima do esperado.

O cenário é preocupante, vive-se uma crise em todos os aspectos, percebe-se as pessoas sem um norte, sem um projeto, o medo de ficar sem sua identidade profissional afeta diretamente o psiquismo e tem grande  chance de contaminação. É fato que o país esta passando por um momento delicado, mas o desespero não ajudará em nada é importante manter em mente que as crises, embora dolorosas, permitem renovação, ou seja, o ser humano tem uma capacidade imensa de se reinventar, o psiquismo criativo acaba sempre se adaptando a novos desafios e na maioria das vezes não se percebe isso.

Uma análise feita pela Organização Mundial de Saúde a respeito do impacto da crise européia sobre a saúde mental apontou que medidas sociais também são importantes para amenizar os danos emocionais. Entre elas estão à instalação de programas de assistência a desempregados, de apoio às famílias com portadores de ansiedade e depressão e serviços que ajudem na renegociação de dívidas. Além disso, a entidade sugere o aumento no preço das bebidas alcoólicas.

Para algumas pessoas pode parecer exagero, mas para quem esta sofrendo com o dia seguinte, com a falta de perspectiva, afetando a relação familiar, as relações no ambiente de trabalho, muitas vezes esse indivíduo vivendo sob pressão se torna agressivo com as pessoas que ele mais ama, mesmo sem querer fere quem mais ama. Portanto procurar ajuda médica é importante, a manutenção da saúde emocional contribui para o não adoecimento e evita esses conflitos que trazem angustia a todos, desarmonizando não só o paciente, mas a vida de todos que convivem com o mesmo.

Não tenha vergonha ou medo, procure um psicólogo, procure ajuda! 

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Invista em seu potencial;
  • Pensamento positivo sempre;
  • Crie um plano B;
  • Aprenda a ver o lado bom da vida;
  • Faca um bom networking;
  • Não pense na crise, faça dela um período de oportunidades;
  • Resgate sua autoestima;
  • A pratica da Meditação e/ou Yoga ajudam no controle da ansiedade e do estresse;
  • Não crie pânico;
  • Reinventar-se não é uma má ideia;
  • Livre-se das dívidas;
  • Seja feliz sem ferir o outro.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa entrevista ?
Deixe o seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais no site e também nas entrevistas para televisão, rádio, assim como, para a minha coluna semanal ( De bem com a vida ) no Jornal do Commércio.

Atenciosamente

Dilza Santos

ENTREVISTA: DIA DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Entrevista para o programa Meio dia em Revista na TV Cultura

Dia 25 de novembro: Dia de enfrentamento à violência contra a mulher.

O Meio Dia em Revista recebe três grandes mulheres engajadas nessa causa: a delegada Ana Oliveira, a psicóloga Dilza Santos e a atriz Rosa Malagueta.

Gostou dessa entrevista ?

Deixe o seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais no site, nas entrevistas para televisão, rádio, assim como, para a minha coluna semanal ( De Bem Com a Vida ) no Jornal do Commércio.

Atenciosamente

Dilza Santos