filhos

MÃES: É HORA DE VOLTAR AO TRABALHO!

As mamães de plantão sabem bem como é aquela dor no peito, uma tristeza, onde muitas vezes nos falta o ar. Isso acontece quando a licença-maternidade chega ao fim e a dor da separação é inevitável. Muitas vezes esse sofrimento vem antes do tempo, essas mães sofrem por antecipação achando impossível essa separação. Essa dedicação integral ao bebê além de fortalecer o vínculo da mãe com o filho deixa mais difícil a separação.

Aprender a lidar com as frustrações e perdas é uma necessidade que faz parte do processo de crescimento do indivíduo, é “normal” essa sensação de insegurança, medo de onde e como deixar meu filho? “Ninguém vai consegui a não ser eu”. “Ele não vai sobreviver sem mim”. É importante destacar que muitas mães já passaram por isso e sobreviveram. Portanto a volta ao trabalho será difícil mas não impossível, afinal é um novo recomeço e se leva um tempo para se organizar emocionalmente.

O que não pode é fingir que esta tudo bem, que não esta sentindo nada, até porque retendo esse sentimento você estará adoecendo o corpo, pois pensando em resolver um problema, você cria um outro.  Muito cuidado!

É importante antes da volta ao trabalho exercitar esta ausência, ou seja, pedir a alguém de sua confiança que cuide do seu filho por alguns minutos, até para ser observado seu comportamento frente a esse contexto da volta ao trabalho. Isso ajuda no processo do desapego.

O medo é algo constante na vida desta mãe! Com quem devo deixar meu filho? Em quem confiar? Deixe seu filho com quem você confia. Se for uma creche, procure uma boa estrutura física, procure referência com amigos ou pessoas que já tem  filho nessa creche, converse com a pessoa que cuidará do seu bebê. Lembre-se ela não vai lhe substituir, não procure a perfeição, porque você não vai encontrar.

O erro de algumas mães é achar que vai encontrar alguém como elas para cuidar de seus pequenos e não vai. Até porque as pessoas são diferentes. Talvez encontre alguém melhor, mas não igual. Pense que você esta em um momento de resistência e adaptação a esse novo desafio e nada vai te agradar. É extremamente normal esse sintoma, só não pode ser exagerado.

As creches têm suas vantagens, ajudam na socialização da criança, nos limites sociais, é importante observar também o espaço físico, limpeza, higiene, procedência dos profissionais que estão trabalhando no local, experiência. Até mesmo a proximidade com o trabalho ou residência para fugir do trânsito. É fundamental a comodidade e a segurança da mãe e da criança nesse processo.

De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, organizado pelo Ministério da Educação (MEC), as creches e pré-escolas devem educar cuidar e proporcionar brincadeiras, contribuindo para o desenvolvimento da personalidade, da linguagem e para a inclusão social da criança. Atividades como brincar, contar histórias, oficinas de desenho, pintura e música, além de cuidados com o corpo, são recomendadas para crianças que frequentam a escola nesta etapa.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Pesquise com calma onde ou com quem deixar seu bebê;
  • Confie no cuidador;
  • Dê tempo para o bebê se acostumar com quem vai cuidar dele;
  • Tenha sempre um plano B;
  • Não se culpe;
  • Tente controlar a ansiedade para não adoecer;
  • Converse com mães que passaram por este processo e hoje estão tranqüilas;
  • Fique tranquila quase 100% das mães já passaram por isso e sobreviveram;
  • Se não consegue lidar com tanta mudança procure um psicólogo.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

JOGOS VIRTUAIS: QUANDO A DIVERSÃO VIRA AMEAÇA

Esta circulando na rede (internet) um jogo chamado “Baleia Azul” tal jogo propõe 50 desafios aos adolescentes e sugere o suicídio como última etapa, mais uma brincadeira macabra que tem entrado em muitos lares silenciosamente, portanto fique atento ao que seu filho vê na internet, o que ele conversa o que esta sendo compartilhado nos grupos de whatsapp, as ameaças estão em toda parte, mas no mundo virtual tudo fica mais fácil, assim como tem os benefícios, há também os malefícios e no mundo virtual andam juntos. Muitas vezes uma brincadeira que parece inocente é uma arma fatal, esses desafios que ultrapassam os limites da vida, não é brincadeira é um convite ao caos, ao fim.

Essas brincadeiras macabras estão mais próximas do que se imagina, desafios bobos que os jovens se submetem e terminam em tragédia é preocupante, é necessário um olhar minucioso em tudo e todos a sua volta, crianças e adolescentes precisam de orientação, para não se tornarem presa fácil para pessoas mal-intencionadas que estão na internet. Principalmente as crianças, elas são indefesas, precisam de um adulto para defendê-las. Confiar é bom! Mas checar é melhor!

Muitas pessoas acabam se tornando vítimas desse mundo acelerado, estão vivendo no automático, ficam pouco em casa e dificilmente acompanham o cotidiano de seus filhos e essa tal “liberdade” não é saudável para essa criança e esse adolescente que tem apenas o mundo virtual como referência.

Fique atento se seu filho tem ficando muito tempo isolado no quarto, se tem evitado o convívio com a família ou amigos, se tem alterações no humor, se esta com uma tristeza que não passa nunca, observe o discurso dele, antes de qualquer ação os sinais se manifestam, sendo até um pedido de socorro silencioso que muitas vezes não são levados a sério. Infelizmente o índice de suicídio entre os jovens é alarmante e tem nos preocupado muito, a depressão, ansiedade e estresse também tem índices altíssimos em todas as idades e pouco se discuti sobre isso, infelizmente existe ainda um grande tabu frente ao tema suicídio!

Ano passado um garoto de 13 anos morreu enforcado, segundo a família do jovem após perder um jogo chamado Choking Game ou “jogo da asfixia” que acontece quando a pessoa interrompe o fluxo de ar com as mãos ou com objetos para induzir desmaios, tontura ou estado de euforia. O jovem teria sido desafiado a se enforcar, e a brincadeira macabra acabou mal. É preciso ficar atento infelizmente o perigo esta entrando com muita facilidade em nossos lares e as maiores vítimas são nossos filhos, vamos ter mais cuidado, ser mais cauteloso e desconfiado!

Confiar é bom! Mas checar é melhor!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Evite deixar seu filho sozinho em casa;
  • Evite deixar seu filho com estranhos;
  • Observe se há alguma lesão visível em seu filho, investigue, pergunte;
  • Determine os horários dessa conexão virtual, jogos online entre outros..
  • Conheça as pessoas com quem seu filho se relaciona;
  • Mantenha o diálogo, fortaleça os vínculos familiares;
  • Evite o acesso de pessoas estranhas em sua casa;
  • Não confie demais! Confiar é bom! Mas checar é Melhor!
  • Fiquem atentos as mudanças comportamentais do seu filho;
  • Aproxime-se do seu filho, converse, investigue sem ser invasivo;
  • Verifique as brincadeiras virtuais que ele costuma ter com os amigos;
  • Reforce que os verdadeiros amigos não colocam a vida do amigo em perigo;
  • Converse sobre os perigos da internet;

Click no link abaixo para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click no link abaixo para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou desse artigo ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

FAMÍLIA E ESCOLA PARCERIA QUE DÁ CERTO !!

Inicio do ano letivo e todo ano neste período o coração dos pais e dos pequenos ficam apertados, o medo, a insegurança e um sentimento de culpa permeiam esse momento.

É importante frisar que aquele frio na barriga é natural, afinal é difícil imaginar que ele ficará bem sem você por perto e principalmente que ele sobreviverá longe de seus olhos. Porém você tem um papel fundamental que é encorajá-lo, reforçar a importância desse processo para o desenvolvimento dele, fale sempre bem da escola, dos professores, afinal se você não confiasse neste espaço e nos educadores,ele não estaria nela, a criança precisa sentir que aquele local é bom, é seguro e os pais precisam adquirir uma postura frente a esse novo desafio, para superarem juntos qualquer dificuldade.

Família e Escola são dois mundos que tem a finalidade de educar a criança e quanto mais sintonia houver, mais eficaz será. Portanto é extremamente importante à parceria da família na escola, e essa parceria se dá incentivando a leitura, a escrita, acompanhando a lição de casa, indo às reuniões de pais, ajudando nas pesquisas, mantendo uma comunicação saudável sem ruídos. Esses fatores são muito importantes para o desenvolvimento do indivíduo, seja infantil ou adolescência.

Muitos autores falam do processo de adaptação das crianças e reforçam que a parceria da família faz isso ser menos doloroso, contribuindo para que esse ambiente seja visto como o segundo melhor lugar do mundo para a criança, é preciso ser forte, seguro para que a culpa, a ansiedade não faça desse momento tão importante para a criança um “Trauma”, afinal esse é um momento que pode trazer lembranças positivas ou negativas para a fase adulta. É claro que tudo vai depender desse trabalho em equipe, família e escola juntas serão o suporte necessário para vencer todas as dificuldades.

Infelizmente há pais que não sabem o nome da professora de seus pequenos, nunca viram a sala de aula deles, é preciso mudar esse quadro, é preciso participar, é preciso reforçar os laços da família com a escola, isso só traz benefícios para todos.

Você verá que essa relação e extremamente benéfica, amenizando muitos problemas que viram uma bola de neve por não ter a atenção devida, prejudicando o desenvolvimento do seu filho.

É fato que será um desafio para ambos. Mas é um grande aprendizado a todos!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Pesquise sobre a escola que deseja matricular seu filho;
  • Pais participem da vida acadêmica de seus filhos;
  • Faça uma visita à escola verifique a estrutura e os níveis de segurança oferecidos;
  • Participe das reuniões de pais;
  • Converse com a professora;
  • Traga a criança pela mão, porque competir com o colinho da mamãe é mais difícil;
  • Acompanhe nas tarefas escolares;
  • Verifique a agenda da criança todos os dias;
  • Não chore na frente da criança, esse é o momento de apoio a ela;
  • Agir com tranquilidade e confiança é fundamental;
  • Não se irrite se ele não conseguiu ficar no primeiro dia, lembre-se que esse é um processo lento para algumas crianças. É preciso respeitar o tempo de cada criança;
  • Mostre a ela que isso será bom;
  • Não faça do primeiro dia de aula um trauma pra você e seu filho;
  • Observe esse acolhimento, a entrega dos professores que contribuirão para a formação de seu filho;
  • Fale com eles sobre seus novos coleguinhas, sempre o incentivando a interagir com o grupo.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

CASTIGO EXAGERADO PODE SER TRÁGICO!!!

Segundo o dicionário castigo é denominado como: pena, correção severa, punição. Recentemente um caso no Japão chamou a atenção do mundo. Uma criança de sete anos foi deixada pelos pais em uma área montanhosa povoada por ursos selvagens, e os pais relataram que a criança foi deixada lá como forma de castigo. E quando voltaram minutos depois ao local a criança já não estava mais lá. Felizmente este caso acabou bem, a criança foi encontrada com vida, porém poderia com toda certeza ter um fim trágico. Tenho certeza que esse caso trouxe inúmeras reflexões.

Será que estamos educando nossas crianças ou causando danos psicológicos irreparáveis?

É preciso esclarecer que crianças que são vítimas de abusos ou negligência grave apresentam sérios problemas em seu desenvolvimento, podendo ser desenvolvido dificuldade de aprendizagem, ansiedade exagerada, baixa autoestima depressão entre outros. Neste contexto a criança também adquire comportamentos violentos como forma de resolver conflitos e isso é facilmente observado na vida adulta, repetindo-se com os seus filhos e cônjuges.

É importante educar, porém educar sem agredir, sem ferir, sem o uso de métodos que põem em risco a vida da criança. Os mais velhos dizem que não se deve fazer nada de cabeça quente, reforço ainda que não se educa de cabeça quente. Porque você não educa, você machuca, traz danos físicos e psicológicos irreparáveis, fato este que destrói com facilidade o que se leva uma eternidade para ser construído. Criança precisar receber educação, porém essa educação pode ser feita com amor, respeito e dedicação.

Criança não é boneca de vitrine, criança é um pequeno ser indefeso, que dependente de um adulto, precisa de cuidados. Reforço ainda que violência gera violência, não resolve nada, pelo contrário cria-se um problema maior!

Atitudes impensadas não são adequadas na hora de educar as crianças, é impressionante que em muitos casos as disciplinas usadas quando se era criança se repete na hora de educar. Uma pergunta: Será que a disciplina à moda antiga ainda funciona?

É preciso muito cuidado para não repetir com nossos filhos as mesmas punições que os nossos pais usavam conosco. Ainda se observa esse método como referência na hora de educar os filhos. Para o especialista Carl Pickhardt, autor de “The everything parent’s guide to positive discipline” (algo como Guia geral da disciplina positiva para pais), tapas só mostram à criança que quem é maior pode bater em quem é mais fraco.

O escritor Sal Severe, que escreveu outro livro sobre disciplina ” How to behave so your children will, too! –  Como se comportar para que seus filhos também se comportem “, diz que crianças que levam palmadas e surras muitas vezes se sentem inseguras e têm baixa autoestima, tornando-se tímidas ou agressivas.

Portanto esta na hora de rever nossos conceitos de como educar nosso pequenos, buscando sempre contribuir com a melhor forma de educá-los e transformá-los em cidadãos de bem! Reforçando que nada substitui o amor que além de ser benéfico fortalece vínculos e não machuca.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Diga não a violência;
  • Fortaleça os vínculos familiares;
  • Reveja seus critérios, não seja tão severo;
  • É preciso mostrar a ele o que fez de errado e fazê-lo pensar a respeito;
  • Converse com seu filho, olho no olho sem interferência de aparelhos eletrônicos;
  • Elogie quando ele fizer algo bom;
  • Não use nenhum método em excesso;
  • Ensine-o a pedir desculpas;
  • Tirar privilégios (como um brinquedo, um passeio, o tempo de TV), é uma alternativa,

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente

Dilza Santos

VOLTA ÀS AULAS: LÁGRIMAS DE TODOS OS LADOS

Inicio do ano letivo e todo ano neste período o coração dos pais e dos pequenos ficam apertados, surge o medo, a insegurança, muitas vezes passada pelos pais inconscientemente aos seus filhos.

Pode parecer exagero, mas é normal provocar dor, angústia, afinal essa separação mesmo que seja por algumas horas é difícil. Até porque você acha que ele não sobreviverá longe de seus olhos. E é nesse lugar que ele vai passar a maior parte do tempo, e você precisa conter essa angústia, insegurança, medo e encorajá-lo a esse novo desafio.

Neste processo o apoio, a segurança, o diálogo com os pequenos é fundamental, a criança precisa sentir que aquele local é bom, é seguro e os pais precisam adquirir uma postura frente a esse novo desafio. Desafio para ambos neste processo, a diferença é que de um lado esta os pais e o do outro a criança. Este primeiro dia de aula é importante por trazer novos valores e traz muito choro para ambos. Afinal a criança esta saindo de sua zona de conforto e conhecendo um novo ambiente, e os pais pensam que a criança vai sofrer. O sofrimento é uma ideia da nossa mente, o choro demonstra um desconforto perante o novo, e muitas vezes os pais não sabem lidar com isso.

Esse processo de adaptação não ocorre apenas com crianças que estão entrando pela primeira vez na escola, crianças que estão mudando de escola, ou apenas mudando de ano e professor também sofrem com essa mudança. Para as crianças mudar de escola não significa apenas ir para outro colégio, mas sim mudar de amigos, de professores e principalmente de ensino, uma vez que cada escola tem um método diferente de ensinar.

Não se sinta culpada por  deixá-lo na creche tão prematuramente. Se a escolha da escolinha for bem feita, um lugar em que a mamãe sinta-se segura para deixar seu filho enquanto trabalha, onde a criança seja bem acolhida neste processo, essa primeira vez não será traumática.

Aos poucos você perceberá que este processo é importante para o desenvolvimento do seu filho e as ações aprendidas benéficas, como a convivência social, disciplina, divisão e colaboração mútua, desenvolvimento da linguagem e de conhecimento do mundo. Como também as brincadeiras entre as crianças que contribuem para acelerar o processo de socialização.

É fato que será um desafio para ambos. Mas é um grande aprendizado a todos!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Pesquise sobre a escola que deseja matricular seu filho;
  • Faça uma visita à escola verifique a estrutura e os níveis de segurança oferecidos;
  • Converse com pais que já tem filhos na escola;
  • Converse com a professora;
  • Traga a criança pela mão, porque competir com o colinho da mamãe é mais difícil;
  • Acompanhar os filhos para passar segurança;
  • Não chore na frente da criança, esse é o momento de apoio a ela;
  • Agir com tranquilidade e confiança é fundamental;
  • Não se irrite se ele não conseguiu ficar no primeiro dia, lembre-se que esse é um processo lento para algumas crianças. É preciso respeitar o tempo de cada criança;
  • Mostre a ela que isso será bom;
  • Não faça do primeiro dia de aula um trauma pra você e seu filho;
  • Observe esse acolhimento, a entrega dos professores que contribuirão para a formação de seu filho;
  • Fale com eles sobre seus novos coleguinhas, sempre o incentivando a interagir com o grupo.

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos