insegurança

inveja

Quando a inveja vira doença

 

Inveja: Por que será que a grama do vizinho é sempre mais verde que a sua? Ou por que tudo da certo para ele e não pra mim? Sentimentos como esse muitas vezes viram obsessão ou contribuem para o adoecimento do indivíduo. Podemos destacar inúmeros motivos que levam algumas pessoas a alimentarem esse sentimento negativo, que traz muito sofrimento para quem tem e quem é perseguido pelo invejoso.

A inveja

O invejoso também é uma vitima de si mesmo. Porque ele nunca esta feliz, mesmo conseguindo o objeto desejado ele não consegue satisfazer o desejo de possuir o que o outro tem.

Segundo o dicionário a inveja é o desejo violento de possuir o bem alheio. Também considerada um dos pecados capitais porque uma pessoa invejosa ignora suas próprias bênçãos e prioriza o status de outra pessoa no lugar do próprio crescimento espiritual, o desejo exagerado por posses, status, habilidades e tudo que outra pessoa tem e consegue é um sentimento maléfico que traz danos para os dois lados, porque no fundo o invejo não é feliz, principalmente por ignorar tudo o que é e possui para cobiçar o que é do próximo.

A inveja é frequentemente confundida com o pecado capital da avareza, um desejo por riqueza material, a qual pode ou não pertencer a outros. A inveja na forma de ciúme é proibida nos Dez Mandamentos da Bíblia. Do latim invídia, que quer dizer olhar com malícia. Mas como se defender dos olhares negativos de indivíduos que muitas vezes se fazem de amigos e na verdade são vampiros, que sugam toda nossa energia nos deixando às vezes de cama. E quem disse que inveja não mata? Mata sim!!!

Em todos os aspectos esse sentimento ruim transmite uma energia pesada, adoece o outro e até chega à violência psicológica, agressões físicas e pode levar a morte. Conta a Bíblia que por Deus ter aceitado a oferta generosa de Abel em detrimento da oferta avara de Caim, este movido pela inveja matou o próprio irmão. Portanto mata e muitas vezes faz a pessoa perder a própria identidade.

É importante frisar que a inveja é consequência de vários fatores um deles é a frustração, a baixa autoestima e a autoconfiança desequilibrada, fatores esses que contribuem para que o indivíduo crie essa obsessão pelo bem alheio. Para eliminar esse sentimento é preciso encontrar suas qualidades, reconhecer seus valores, olhar para si e resgatar sua autoconfiança. E fazer sempre aquela temida pergunta: Como eu me vejo? E quando esse sentimento negativo vir mude o foco.

O mais importante em tudo isso é não se deixar contaminar com pensamentos negativos. Se as coisas não aconteceram, você vai tentar de novo, o pensamento positivo faz toda diferença em nossa vida. Uma atitude otimista faz um bem danado! Norman Vicent Peale, autor de O Poder do Pensamento Positivo, em 1952 já dizia: “Mude seus pensamentos e você mudará seu mundo”. É importante fazer nossa mente trabalhar a nosso favor.

Procure ajuda se há algo te tirando do foco, que não consegue controlar, que esta dificultando sua relação com seus amigos, sua família, converse com um profissional. Viver de bem com a vida é fundamental para se adquirir mais qualidade de vida!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Ame-se;
  • Pensamento positivo sempre;
  • Pratique meditação;
  • Aprenda a ver o lado bom da vida;
  • Contribua com seu bem estar;
  • Descubra suas próprias qualidades;
  • Resgate sua autoestima;
  • Seja feliz sem ferir o outro.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe o seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais no site e também nas entrevistas para televisão, rádio, assim como, para a minha coluna semanal ( De bem com a vida ) no Jornal do Commércio.

Atenciosamente

Dilza Santos

Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

Suicidio

Suicídio: Epidemia Silenciosa

Suicídio – Epidemia Silenciosa: Dia 10 de setembro é o dia mundial da prevenção do suicídio. Segundo pesquisas o suicídio é a segunda maior causa de morte entre jovens no mundo entre 15 e 29 anos. No Brasil é a terceira maior causa entre os jovens. E o que se tem feito para diminuir as estatísticas? Por que aumenta tanto o número de jovens que decidem terminar com a própria vida no Brasil?   No Brasil, estima-se que 25 pessoas cometam suicídio por dia.

De acordo com a (OMS) Organização Mundial de Saúde, uma pessoa se suicida a cada 40 segundos a tendência é de crescimento dessas mortes entre os jovens, especialmente nos países em desenvolvimento. Nos últimos vinte anos, o suicídio cresceu 30% entre os brasileiros com idades de 15 a 29 anos. No mundo, cerca de um milhão de pessoas morrem anualmente por essa causa. A OMS estima que haverá 1,5 milhão de vidas perdidas por suicídio em 2020, representando 2,4% de todas as mortes. Todo dia, 28 brasileiros se suicidam e, para cada morte, há entre 10 e 20 tentativas.

Segundo pesquisas 90% das pessoas que cometem o suicídio sofrem de algum transtorno entre eles a depressão, dependência de álcool ou outras drogas. É importante ficar alerta aos sinais, pais, mães, irmãos e amigos próximos fiquem atentos a mudança de comportamento, ou seja, quando a pessoa começa a falar em suicídio, procura se isolar, começa a querer se despedir de parentes,  esta triste, com baixa auto estima entre outros.

É importante a busca por um psiquiatra para ser identificado se há algum distúrbio a ser tratado ou se há abuso de drogas, tudo tem que ser analisado minuciosamente e para isso só um especialista. Diante da gravidade do assunto pouco se ouve falar, existe um tabu, é preciso mais visibilidade sobre o tema.

Reduzir a taxa de suicídio é um desafio coletivo, todos tem que esta envolvidos, o silêncio tem que ser rompido, é alarmante o numero crescente de jovens que tem desistido da vida a troca de informações pode ser muito útil para diminuir esses índices.

É importante destacar que toda tentativa tem que ser olhada com atenção. Muitas vezes é visto apenas como se a pessoa estivesse querendo chamar atenção, não pode ser visto dessa forma. É um problema sério, grave e precisa ser tratado como tal. É preciso quebrar tabus e abordar mais esse tema, na tentativa de evitar mais casos. Abordar essa temática na mídia, nas escolas, instituições, igrejas e familiares faz com que isso ganhe visibilidade e assim mostrar para essas pessoas que existe ajuda.

Recentemente em um congresso ouvi o relato de uma mãe que encontrou seu filho mais velho enforcado no quarto com o próprio cinto. E evidente o sofrimento da família nestes casos. Existem vários “Se”.  “Se eu estivesse entrando antes” “Se eu estivesse ouvido mais, prestado atenção mais” “Se eu estivesse lá, ele estaria comigo”. Enfim é dolorosa demais a perda de um filho. E o que podemos fazer para amenizar essa dor? Será que estamos preparados para ouvir um pedido de socorro?

São varias as causas que levam a pessoa a cometer o suicídio, entre elas os transtornos mentais, como transtorno de humor que leva a depressão, também outras causas que não os transtorno, são atitudes impulsivas de pessoas diante de uma perda de emprego, fim de um relacionamento, morte de um familiar entre outros. Segundo pesquisas o risco de suicídio em pessoas com perturbações de humor (principalmente depressão) é de 6 a 15%.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Você não sabe lidar com esse pensamento suicida! Procure ajuda de um profissional;
  • Peça ajuda;
  • Converse com alguém;
  • A morte não é a solução.

Click no link abaixo para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click no link abaixo para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Se estiver precisando de qualquer ajuda ou consulta, por favor, não exite em entrar em contato.

 Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

Mania de perseguição!

Mania de perseguição!

Mania de perseguição!: Como esta sua autoestima no momento?

Você acha que todos estão contra você? Que o mundo todo esta conspirando contra seus projetos de vida? Muito cuidado! Se você já passou ou passa varias vezes por essa sensação, de que alguém não gosta ou está rindo de você sem motivos aparentes, quem sabe você tenha um quadro de algum transtorno psicológico.

Faça o teste agora mesmo

Quando alguém tem um medo ou uma desconfiança obsessiva dos outros, seja de alguém próximo ou desconhecido e surgem aqueles pensamentos negativos a ponto de prejudicar a vida social e profissional, é necessário uma atenção rigorosa, porque isso pode indicar uma “mania de perseguição”, que dependendo da intensidade pode representar sintomas de doenças psicológicas ou de uma necessidade inconsciente de ser o centro das atenções, essa sensação de se sentir perseguido é entendida como auto referência e aparece como sintoma em diversas patologias, entre elas a esquizofrenia paranoide.

Vale ressaltar que além do comportamento persecutório, o indivíduo também pode apresentar alucinações, visuais ou auditivas.

Na verdade neste processo, acredita-se que todos estão prestando atenção em suas ações e o reprovam. Em sua grande maioria tem uma baixa autoestima e não tem autoconfiança.

Simplificando podemos dizer que mania de perseguição é a sensação que o indivíduo tem de que está sendo perseguido, monitorado, observado ou ameaçado por outras pessoas, não tem paz e tem uma sensação constante de insegurança, na verdade é algo bem comum nos dias de hoje principalmente com os recursos das redes sociais. Muitos até se limitam a não ter essas ferramentas achando que serão perseguidos. O que deve ser percebido é a intensidade deste desconforto.

É preciso ter muito cuidado para não tirar conclusões precipitadas, é extremamente necessária a investigação minuciosa de um psicólogo ou psiquiatra onde será avaliado os sintomas e fatores que desencadearam esse comportamento. O que se percebe no discurso de quem tem essa mania é sempre achar que “todos estão contra ele”, “todos tem inveja dele” ou até mesmo que ele esta sendo perseguido.

É importante frisar que todos nós temos uma consciência de como o outro nos percebe, mas quem tem mania de perseguição faz uma percepção distorcida e leva tudo para o lado pessoal.

Se as coisas não estão dando certo é porque não gostam dele, tem inveja dele, perseguem ele, ou seja a culpa esta sempre no outro e não em si.

Outra questão a ser analisada é que a intensidade com que essa mania acontece varia de uma pessoa para outra, nunca será igual. Portanto é importante avaliar em que contexto essa pessoa esta inserida, como ela tem processado os acontecimentos traumáticos na sua vida.

É extremamente importante o acompanhamento psicológico nesse processo, até porque a pessoa acha que a reclusão é a solução para evitar os comentários negativos, as desaprovações e as recriminações.

É comum observar que a vítima não se dá conta de que apresenta essa mania, acredita realmente que as pessoas estão prestando atenção nela. Portanto é importante procurar ajuda!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Não se cobre tanto;
  • Procure algo que lhe dê prazer para aliviar o estresse;
  • Cuide-se;
  • Pratique meditação / yoga;
  • Não alimente algo que não é real;
  • Não acumule tantos sentimentos que não consegue dar conta;
  • Não pense em agradar a todos;
  • Não crie tanta expectativa no outro;
  • Tente enxergar o que esta a sua volta positivamente;
  • Não tenha vergonha de procurar ajuda;
  • Pratique exercícios físicos;
  • Se não consegue lidar com tudo isso, procure um psicólogo.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

 Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

A IMPORTÂNCIA DA AUTOESTIMA

Você já acordou naquele dia que nada pode afetar você? Ou levantou confiante, sem medo de falar sobre qualquer assunto?

É extremamente importante nos relacionar bem com o meio em que estamos inseridos, ou seja, com ou sem autoestima os desafios da vida estão presentes e temos que enfrentá-los de cabeça erguida. Mas será que todos tem essa confiança? Você já mediu em que nível esta sua autoestima ultimamente? Avaliar sua autoestima é a dica para você se conhecer melhor e saber como está o seu relacionamento com as pessoas.

Mas o que é autoestima ?

Autoestima – É a opinião e o sentimento que cada pessoa tem de si mesmo. “Como eu me percebo” “Como eu me vejo”. Começa a se formar na infância, a partir de como as outras pessoas nos tratam. Nesta fase pode-se alimentar ou destruir a autoconfiança, é de grande importância a validação, ou seja, os pais elogiarem seus filhos, darem importância a pequenas coisas que seus filhos constroem o ambiente em que a criança esta inserida não pode ser falho. Já a autoestima baixa geralmente está relacionada a falsos valores. Crença que é necessária aprovação da mãe ou pai.

Na realidade todos nós precisamos de fato de uma recompensa, estes condicionantes são muito poderosos e determinam algumas vezes nosso estado emocional. Todo mundo gosta de receber elogios, mas existem aqueles indivíduos que transformam um comentário negativo em construtivo, fazem da crítica uma aliada! Tudo vai depender de como estamos nos vendo, se estamos bem é claro que vamos transmitir coisas boas, porém se não estamos bem não seremos uma boa companhia para ninguém, nem pra si mesmo.

Algumas características da baixa autoestima:

– Insegurança                                                          – Negativismo

– Dúvidas constantes                                             – Depressão

– Ansiedade                                                             – Raiva entre outros.

– Necessidade de agradar os outros                     – Acha que a vida do outro é sempre melhor que a sua

Algumas características da autoestima elevada:

– Paz interior                                                             – Relações saudáveis

– Amor-próprio aumenta                                         – Satisfação pessoal

– Ansiedade e insegurança diminuem                    – Harmonia entre o que sente e o que diz

– Necessidade de aprovação diminui                     – Maior flexibilidade aos fatos

– Autoconfiança elevada

 DICAS DE BEM COM A AVIDA

  • – Pare de se comparar com o outro;
  • – Se ame sem se importar com o que outro vai pensar de você;
  • – Deixe o discurso vitimizado;
  • – Trate-se com carinho;
  • – Aprenda a gostar do que te faz bem;
  • – Faça uma reeducação amorosa;
  • – Não dê importância a opiniões negativas;
  • – Construa sua própria identidade;
  • – Pratique Meditação / Yoga;
  • – Pratique exercícios físicos.
  • – Reforce seus contatos e faça novos amigos;

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

 

A CRISE E SEUS EFEITOS PSICOLÓGICOS

Clique aqui e confira a matéria diagramada.

Atualmente vivemos em uma atmosfera pesada, coberta de dúvidas e incertezas, onde a insegurança aumenta a cada segundo, inúmeras pessoas perdendo seus empregos e o medo toma conta daqueles que sentem-se ameaçados profissionalmente. A crise financeira é uma porta aberta para outras crises, infelizmente o medo de não ser capaz de sustentar suas necessidades básicas, a ameaça de não ter o mesmo padrão de vida contribui para o desequilíbrio emocional, afeta a autoestima, as relações interpessoais e o mais preocupante pode levar a depressão.

Infelizmente essa instabilidade contribui para o adoecimento do indivíduo com o aumento da ansiedade, estresse, insônia, transtornos alimentares, uso de álcool ou até o suicídio. É importante frisar que cada indivíduo vivência esse momento de instabilidade de acordo com sua estrutura psicológica. Pessoas negativas, com autoestima baixa, que já passaram por uma crise emocional recente, estão mais vulneráveis.

Recentemente conversei com um grupo de pessoas em uma determina empresa onde estão vivenciando um clima instável, acorda-se todos os dias com aquela sensação que “será que é hoje”. E pergunto: Será que essas pessoas estão produzindo bem? Será que aqueles que estão manuseando máquinas pesadas estão com a atenção necessária? Percebo que o risco de um acidente de trabalho neste clima não é difícil, afinal a atenção esta comprometida, a ansiedade esta acima do esperado.

O cenário é preocupante, vive-se uma crise em todos os aspectos, percebe-se as pessoas sem um norte, sem um projeto, o medo de ficar sem sua identidade profissional afeta diretamente o psiquismo e tem grande  chance de contaminação. É fato que o país esta passando por um momento delicado, mas o desespero não ajudará em nada é importante manter em mente que as crises, embora dolorosas, permitem renovação, ou seja, o ser humano tem uma capacidade imensa de se reinventar, o psiquismo criativo acaba sempre se adaptando a novos desafios e na maioria das vezes não se percebe isso.

Uma análise feita pela Organização Mundial de Saúde a respeito do impacto da crise européia sobre a saúde mental apontou que medidas sociais também são importantes para amenizar os danos emocionais. Entre elas estão à instalação de programas de assistência a desempregados, de apoio às famílias com portadores de ansiedade e depressão e serviços que ajudem na renegociação de dívidas. Além disso, a entidade sugere o aumento no preço das bebidas alcoólicas.

Para algumas pessoas pode parecer exagero, mas para quem esta sofrendo com o dia seguinte, com a falta de perspectiva, afetando a relação familiar, as relações no ambiente de trabalho, muitas vezes esse indivíduo vivendo sob pressão se torna agressivo com as pessoas que ele mais ama, mesmo sem querer fere quem mais ama. Portanto procurar ajuda médica é importante, a manutenção da saúde emocional contribui para o não adoecimento e evita esses conflitos que trazem angustia a todos, desarmonizando não só o paciente, mas a vida de todos que convivem com o mesmo.

Não tenha vergonha ou medo, procure um psicólogo, procure ajuda! 

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Invista em seu potencial;
  • Pensamento positivo sempre;
  • Crie um plano B;
  • Aprenda a ver o lado bom da vida;
  • Faca um bom networking;
  • Não pense na crise, faça dela um período de oportunidades;
  • Resgate sua autoestima;
  • A pratica da Meditação e/ou Yoga ajudam no controle da ansiedade e do estresse;
  • Não crie pânico;
  • Reinventar-se não é uma má ideia;
  • Livre-se das dívidas;
  • Seja feliz sem ferir o outro.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa entrevista ?
Deixe o seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais no site e também nas entrevistas para televisão, rádio, assim como, para a minha coluna semanal ( De bem com a vida ) no Jornal do Commércio.

Atenciosamente

Dilza Santos

QUANDO O MEDO DE ENVELHECER PODE SER UM PROBLEMA

Vivemos em uma sociedade onde as pessoas tem se preocupado mais com sua aparência física, essa é uma preocupação que existe desde a idade antiga, onde óleos aromáticos, banhos com ervas, massagens para o corpo, eram utilizados, acreditando que a pele ficaria mais jovem, havia todo um ritual estético e mesmo com o passar dos anos, isso continua. Atualmente equipamentos modernos, de ultima geração ganham espaço nas clinicas de estética. Sendo um mercado em constante crescimento.

É comum cuidar da pele, do cabelo, das rugas, vestir-se bem, mas precisamos analisar até que ponto isso esta sendo encarado de forma natural.

E envelhecer!! Você já parou pra pensar nesse processo? Sentiu medo? Do que você tem medo? Como encarar esse processo de forma saudável? Enfim, com certeza você já fez uma dessas perguntas pra si mesmo! Afinal envelhecer é um processo inevitável, nascemos, crescemos, vamos adquirindo experiências, conhecimento e com o passar dos anos o nosso corpo vai sofrendo varias modificações, é natural, faz parte do ciclo vital.

Porém existem pessoas que adquirem um medo irracional de envelhecer conhecidos como gerascofóbicos. Uma pessoa com essa fobia não consegue vivenciar esse ciclo de forma natural, é extremamente perturbador, acompanhada de uma grande ansiedade, medo, angustia e pensamentos negativos. E o que era pra ser vivido de forma natural torna-se um pânico. Afeta homens e mulheres acima de 40 anos. E essa estreita relação entre a fobia, medo e a negação e o que caracteriza a gerascofobia.

O sentimento de negação é uma característica muito comum nestes casos, o indivíduo nunca diz a idade real, tem pavor de ser chamado de tio ou vô, e costuma se relacionar sempre com pessoas mais jovens, muitas vezes adquirindo um comportamento adolescente, como não podem parar o relógio, vivem enganando-se a fim de reduzir suas angustias e ansiedades.

É um problema que afeta o convívio social, familiar e profissional e precisa ser encarado com seriedade, onde é necessário acompanhamento psicológico ou psiquiátrico dependendo do estágio.

Seguem alguns sintomas:

  • Depressão
  • Ataques de pânico
  • Estagnação Pessoal
  • Obsessões
  • Tremores
  • Taquicardia
  • Falta de ar

É fundamental a família ou pessoas próxima aos gerascofóbicos ficarem atentos a alguns desses sintomas, para reforçar a busca por um especialista. Porque o indivíduo esta fora de sua realidade, e não percebe o quanto isso esta afetando sua vida social, familiar, profissional e afetiva. E em alguns casos, percebe-se compras abusivas de objetos que não combinam com a fase em que se encontram, chegando a ser criticado por este comportamento. Caracterizado como  “comportamento adolescente”.

 Dicas de Bem Com a Vida

  • – Dê mais vida aos anos e não anos a vida;
  • – Encare a melhor idade como a riqueza de conhecimento;
  • – Pratique atividades geradoras de satisfação;
  • – Tenha uma boa alimentação;
  • – Encare envelhecer como parte do processo de vida, não a evite;
  • – Participe de grupos para compartilhar experiências e rir bastante;
  • – Observe como você pode contribuir positivamente as gerações mais jovens;
  • – Faça viagens com grupos da mesma idade que você, para a troca de experiências.
  • – Leia bons livros;
  • – Evite o isolamento, contato virtual;
  • – Converse com as pessoas pessoalmente;

E lembre-se viver essa fase é um privilégio!

 

Click no link abaixo para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click no link abaixo para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou desse artigo ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos