medo

Entrevista de emprego X Ansiedade

O processo na busca de um emprego tem sido um desafio constante na vida daqueles que querem se recolocar no mercado de trabalho ou buscam o primeiro emprego. E essa procura em alguns casos pode contribuir para o adoecimento do indivíduo. É normal o candidato ficar ansioso, tenso, inquieto, porém quando isso sai do contexto “normal”é preciso procurar ajuda. A ansiedade exagerada traz inúmeros sintomas que comprometem o bom desempenho do candidato em uma entrevista de emprego.

E o que poucas pessoas sabem é que esse processo traz sofrimento antes, durante e depois da entrevista. O candidato sofre antecipadamente por medo, afinal o emprego que tanto deseja esta mais próximo do que se imagina, e essa ansiedade acaba comprometendo sua noite de sono e consequentemente sua entrevista de emprego. Sofre durante porque ele esta de frente com a pessoa que vai avaliar se ele esta apto ao cargo pretendido e por ultimo que acho o mais cruel, é a espera.

O candidato sofre com a espera, porque na maioria das vezes, essa resposta não chega nunca. Destaco a falta de respeito com o candidato quando isso acontece, o retorno ao candidato se passou ou não para a próxima fase é importante sim no processo seletivo e hoje temos inúmeros recursos para dar esse retorno, mas infelizmente isso acontece frequentemente ( O candidato não recebe o feedback ), trabalhei anos na área de recursos humanos e nunca deixei nenhum candidato sem resposta. Muito se ouve; Não tenho tempo!

É corrido demais! Mas já pensou se fosse você nesta situação? Digo que sempre é bom nos colocar no lugar do outro por alguns segundos, porém o mais difícil é as pessoas terem essa sensibilidade. As pessoas estão mais preocupadas em fechar a vaga e não imaginam o quanto esse retorno e importante para o candidato, que nessas alturas esta com inúmeros porquês na cabeça. E isso acaba afetando sua autoestima em futuras entrevistas, além do medo de concorrer com outros profissionais.

Atualmente tem se observado excelentes profissionais fora do mercado de trabalho e com isso a competitividade se destaca. Fato este que também contribui para essa tensão nervosa causando um imenso estresse. O candidato já chega para entrevista se sentindo excluído por achar que tem alguém melhor que ele, muitos nem chegam a entrar na sala por extrema insegurança.

Reforço que é preciso trabalhar esses fantasmas e Acredite em você !! Você é capaz!!, Não desista nunca de seus sonhos!!.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Prepare um bom currículo;
  • Não minta na entrevista;
  • Adquira novos conhecimentos, algo que pode contribuir em sua carreira profissional.
  • Tenha uma boa noite de sono para acordar bem disposto;
  • Mantenha o equilíbrio;
  • Confirme sempre a data e horário da entrevista;
  • Se não acontecer agora, não desista, não desanime;
  • Compartilhe com amigos sua experiência profissional troque idéias;
  • Aumente sua rede de networking;
  • Humildade abre portas;
  • Organize-se, a organização e fundamental na vida das pessoas;
  • Evite bebidas alcoólicas;
  • Não chegue atrasado, procure o local com antecedência;
  • Vista-se de forma adequada;
  • Não perda o foco;
  • Pesquise sobre a empresa que você esta concorrendo à vaga;
  • Pensamento positivo sempre;
  • Acredite no seu potencial;
  • Relaxe, não existe entrevista perfeita, seja você mesmo, não tente vender uma imagem que não é sua;
  • Pratique algumas técnicas de relaxamento antes da entrevista;
  • É normal ficar ansioso, porém se essa ansiedade se tornar um problema é necessário procurar ajuda psicológica.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente

Dilza Santos

Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

Síndrome do Pânico

Síndrome do Pânico: A importância do tratamento

Síndrome do Pânico: O Brasil tem mais de 9% da população com algum transtorno de ansiedade, são mais de 18 milhões de pessoas nessa situação de acordo com a reportagem do fantástico (20.08.17).

Infelizmente esses dados não são uma boa notícia, mas o que tem contribuído para que as pessoas tenham essa ansiedade exagerada?

Muito se fala em ansiedade, estresse, síndrome do pânico e depressão, mas o que estamos fazendo para perder o equilíbrio? Ou melhor o que temos feito para não perder o equilíbrio?

Enfim vários fatores podem contribuir para esse desequilíbrio.

Infelizmente os transtornos mentais tem afetado milhões de pessoas e a estatística só aumentam. Vive-se uma epidemia silenciosa de suicídio, depressão entre outras doenças e isso é alarmante.

É claro que a ansiedade faz parte da vida do indivíduo, é um recurso natural, porém quando traz sintomas desagradáveis para o corpo e a mente se torna patológica, afinal tudo em exagero acaba nos adoecendo e as cobranças da vida moderna são alguns geradores dos quadros ansiosos, neste contexto é extremamente importante o acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra.

Nosso cérebro também tem um sistema de alerta, quando percebemos uma ameaça ele nos prepara para fugir ou lutar, neste contexto sentir medo é normal. Porém quando esse alarme dispara sem motivos, temos uma síndrome, a síndrome do pânico.

Quem sofre com a síndrome do pânico costuma ter crises de medo ou ansiedade que vem do nada, como o simples fato de ficar sozinho em casa, o sistema de alerta fica desgovernado, a respiração acelera, o coração dispara, os músculos ficam tensos, calafrios ou o suor aumenta, ao perceber esses sintomas a pessoa fica ainda mais ansiosa, então cresce a sensação de que vai morrer, acha que não tem saída. É desesperador a sensação de quem sofre com esta síndrome.

É muito importante frisar que a síndrome do pânico não é frescura, não é falta do que fazer, é doença, precisa de tratamento, não julgamento.

O paciente precisa ser acolhido, tratado e não julgado! Se não pode ajudar, não julgue!

Síndrome do Pânico

Algumas características da síndrome:

  • Tremor ou abalos;
  • Medo de morrer;
  • Sudorese;
  • Tremores;
  • Paralisação;
  • Calafrios ou onda de calor;
  • Tensão nos músculos;
  • Taquicardia entre outros…

Segundo a Previdência Social, os transtornos mentais já são a terceira razão de afastamentos do trabalho no Brasil, sendo que os gastos do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) giram em torno de R$ 200 milhões em pagamentos de benefícios anuais, dado que reforça a importância de se criar medidas de prevenção.

Nesse contexto, a ansiedade, síndrome do pânico, assim como a depressão, são os males que mais afetam as pessoas.

Levantamentos da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que atualmente cerca de 33% da população mundial sofre de ansiedade.

O Brasil tem aparecido sempre entre os primeiros das listas da organização.

Vamos nos conectar com o que nos faz bem, procurar relaxar, parar de sofrer por antecipação, adquirindo mais qualidade de vida, você poderá contribuir para a redução do estresse e ansiedade, evitando assim vários problemas emocionais, afinal “

Cuidar da  mente é cuidar da vida”.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Viva melhor o seu aqui agora;
  • Conecte-se com o que te faz bem;
  • Saiba a diferença entre pânico e medo;
  • Visite seu médico regularmente;
  • Curta mais sua família;
  • Evite diagnósticos precipitados, procure um especialista;
  • Respeite seu sono e durma;
  • Pratique exercícios físicos;
  • Pratique meditação/yoga
  • Mantenha a calma;
  • Evite sofrer por antecipação;
  • Se não conseguir controlar sua ansiedade procure ajuda de um especialista.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Esclareça suas dúvidas, estamos a disposição para melhor atendê-lo sobre nossos serviços e nossa infraestrutura.

 (92) 99127-6558/3087-8618

 contato@dilzasantos.com.br

Suicidio

Suicídio: Epidemia Silenciosa

Suicídio – Epidemia Silenciosa: Dia 10 de setembro é o dia mundial da prevenção do suicídio. Segundo pesquisas o suicídio é a segunda maior causa de morte entre jovens no mundo entre 15 e 29 anos. No Brasil é a terceira maior causa entre os jovens. E o que se tem feito para diminuir as estatísticas? Por que aumenta tanto o número de jovens que decidem terminar com a própria vida no Brasil?   No Brasil, estima-se que 25 pessoas cometam suicídio por dia.

De acordo com a (OMS) Organização Mundial de Saúde, uma pessoa se suicida a cada 40 segundos a tendência é de crescimento dessas mortes entre os jovens, especialmente nos países em desenvolvimento. Nos últimos vinte anos, o suicídio cresceu 30% entre os brasileiros com idades de 15 a 29 anos. No mundo, cerca de um milhão de pessoas morrem anualmente por essa causa. A OMS estima que haverá 1,5 milhão de vidas perdidas por suicídio em 2020, representando 2,4% de todas as mortes. Todo dia, 28 brasileiros se suicidam e, para cada morte, há entre 10 e 20 tentativas.

Segundo pesquisas 90% das pessoas que cometem o suicídio sofrem de algum transtorno entre eles a depressão, dependência de álcool ou outras drogas. É importante ficar alerta aos sinais, pais, mães, irmãos e amigos próximos fiquem atentos a mudança de comportamento, ou seja, quando a pessoa começa a falar em suicídio, procura se isolar, começa a querer se despedir de parentes,  esta triste, com baixa auto estima entre outros.

É importante a busca por um psiquiatra para ser identificado se há algum distúrbio a ser tratado ou se há abuso de drogas, tudo tem que ser analisado minuciosamente e para isso só um especialista. Diante da gravidade do assunto pouco se ouve falar, existe um tabu, é preciso mais visibilidade sobre o tema.

Reduzir a taxa de suicídio é um desafio coletivo, todos tem que esta envolvidos, o silêncio tem que ser rompido, é alarmante o numero crescente de jovens que tem desistido da vida a troca de informações pode ser muito útil para diminuir esses índices.

É importante destacar que toda tentativa tem que ser olhada com atenção. Muitas vezes é visto apenas como se a pessoa estivesse querendo chamar atenção, não pode ser visto dessa forma. É um problema sério, grave e precisa ser tratado como tal. É preciso quebrar tabus e abordar mais esse tema, na tentativa de evitar mais casos. Abordar essa temática na mídia, nas escolas, instituições, igrejas e familiares faz com que isso ganhe visibilidade e assim mostrar para essas pessoas que existe ajuda.

Recentemente em um congresso ouvi o relato de uma mãe que encontrou seu filho mais velho enforcado no quarto com o próprio cinto. E evidente o sofrimento da família nestes casos. Existem vários “Se”.  “Se eu estivesse entrando antes” “Se eu estivesse ouvido mais, prestado atenção mais” “Se eu estivesse lá, ele estaria comigo”. Enfim é dolorosa demais a perda de um filho. E o que podemos fazer para amenizar essa dor? Será que estamos preparados para ouvir um pedido de socorro?

São varias as causas que levam a pessoa a cometer o suicídio, entre elas os transtornos mentais, como transtorno de humor que leva a depressão, também outras causas que não os transtorno, são atitudes impulsivas de pessoas diante de uma perda de emprego, fim de um relacionamento, morte de um familiar entre outros. Segundo pesquisas o risco de suicídio em pessoas com perturbações de humor (principalmente depressão) é de 6 a 15%.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Você não sabe lidar com esse pensamento suicida! Procure ajuda de um profissional;
  • Peça ajuda;
  • Converse com alguém;
  • A morte não é a solução.

Click no link abaixo para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click no link abaixo para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Se estiver precisando de qualquer ajuda ou consulta, por favor, não exite em entrar em contato.

 Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS – DOR ONDE NÃO DÓI !

Você já deve ter procurado um médico achando que esta muito doente, fez vários exames e o resultados é negativo! O médico diz que você não tem nada que é coisa da sua cabeça. E a dor não passa, o corpo dói, a cabeça dói, tudo dói. Uma dor que você não sabe de onde vem.

Talvez você não lembre, mas é provável que tenha passado por um momento de grande tensão ou um grande aborrecimento, uma decepção ou até mesmo se culpa por algo que deveria ter feito e não fez, ou seja, você tem dificuldade em exteriorizar isso e esse sentimento acaba afetando seu bem estar e seu equilíbrio emocional.

Quando a boca cala o corpo fala e o corpo sente o corpo fala. Isso é muito comum nos dias de hoje, onde as pressões principalmente no ambiente de trabalho estão em alta.

As doenças psicossomáticas são problemas psicológicos que se transformam em dor física. O indivíduo esta sofrendo tanto que o corpo começa a pedir socorro. Muitas vezes pode se esta passando por sérios problemas emocionais e não consegue exteriorizar isso, sofre calado. O corpo e a mente estão sempre trabalhando juntos um ajuda o outro, se a mente não esta bem o corpo também vai adoecer. É importante saber que nosso corpo é todo integrado, ficar atento aos sinais que o corpo dá é fundamental para o não adoecimento.

Alguns sintomas da pessoa cometida por doenças psicossomáticas – baixa autoestima, alergia, queda de cabelo, diarreia, dor de cabeça, dor de barriga, náuseas, vômitos, enjoo, perda da consciência e perda do desejo sexual, entre outros. Em casos mais graves a pessoa pode ainda perder a consciência e aumentar o seu grau de irritabilidade.

É preciso investigar todo o contexto do processo de adoecimento do indivíduo, é um erro dizer que a pessoa adoeceu porque quis! Afinal esse tipo de comentário não ajuda em nada!

Muitas vezes o indivíduo se sente culpado por estar doente e fica deprimido. Pode se dizer que a pessoa é responsável por sua saúde, não culpado por adoecer. É preciso analisar quanto tempo ele esta vivendo sobre pressão, em casa, trabalho, relacionamento, tudo é analisado para realmente identificar, o que contribuiu para o adoecimento.

Alguns sinais que precisam ser observados:

  • Pele – Irritação, alergias, coceiras, vermelhidão;
  • Estômago – Má digestão, enjoos, vômitos, azia;
  • Intestino – Diarreia;
  • Garganta – Irritação, tosse, dificuldade para respirar, dor e inflamação;
  • Sistema imunológico – Gripe, herpes, entre outros;
  • Cabeça – Dores, enxaqueca
  • Corpo – Fibromialgia (dores por todo o corpo durante longos períodos, com sensibilidade nas articulações, nos músculos, tendões e em outros tecidos moles).

É importante clarificar que cada pessoa tem sua história, tem seu equilíbrio, cada um sente de forma diferente as pressões diárias. Percebe-se em alguns processos, pessoas que tem sua criatividade reprimida, choro contido, que estão vivenciando um estresse elevado, uma tendência a essa desarmonia, a qualidade de vida e fatores genéticos são fatores que não podem ser descartados.

Portanto pegue leve com você, se ame, veja o lado positivo da vida, nem tudo é negativo, cuidando da mente o seu corpo agradece.

“ O que a mente não elabora o corpo chora ”.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Você não é culpado por adoecer. Você é responsável por sua saúde;
  • Cuide de você;
  • Crie um tempo realmente seu;
  • Pratique meditação / yoga;
  • Fique atendo aos sinais que seu corpo dá;
  • Invista em você;
  • Sorria, faça coisas que lhe proporcionam bem estar;
  • Se tem algo incomodando você, converse com alguém, procure um psicólogo.

“ O que a mente não elabora o corpo chora ”

 

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Mania de perseguição!

Mania de perseguição!

Mania de perseguição!: Como esta sua autoestima no momento?

Você acha que todos estão contra você? Que o mundo todo esta conspirando contra seus projetos de vida? Muito cuidado! Se você já passou ou passa varias vezes por essa sensação, de que alguém não gosta ou está rindo de você sem motivos aparentes, quem sabe você tenha um quadro de algum transtorno psicológico.

Faça o teste agora mesmo

Quando alguém tem um medo ou uma desconfiança obsessiva dos outros, seja de alguém próximo ou desconhecido e surgem aqueles pensamentos negativos a ponto de prejudicar a vida social e profissional, é necessário uma atenção rigorosa, porque isso pode indicar uma “mania de perseguição”, que dependendo da intensidade pode representar sintomas de doenças psicológicas ou de uma necessidade inconsciente de ser o centro das atenções, essa sensação de se sentir perseguido é entendida como auto referência e aparece como sintoma em diversas patologias, entre elas a esquizofrenia paranoide.

Vale ressaltar que além do comportamento persecutório, o indivíduo também pode apresentar alucinações, visuais ou auditivas.

Na verdade neste processo, acredita-se que todos estão prestando atenção em suas ações e o reprovam. Em sua grande maioria tem uma baixa autoestima e não tem autoconfiança.

Simplificando podemos dizer que mania de perseguição é a sensação que o indivíduo tem de que está sendo perseguido, monitorado, observado ou ameaçado por outras pessoas, não tem paz e tem uma sensação constante de insegurança, na verdade é algo bem comum nos dias de hoje principalmente com os recursos das redes sociais. Muitos até se limitam a não ter essas ferramentas achando que serão perseguidos. O que deve ser percebido é a intensidade deste desconforto.

É preciso ter muito cuidado para não tirar conclusões precipitadas, é extremamente necessária a investigação minuciosa de um psicólogo ou psiquiatra onde será avaliado os sintomas e fatores que desencadearam esse comportamento. O que se percebe no discurso de quem tem essa mania é sempre achar que “todos estão contra ele”, “todos tem inveja dele” ou até mesmo que ele esta sendo perseguido.

É importante frisar que todos nós temos uma consciência de como o outro nos percebe, mas quem tem mania de perseguição faz uma percepção distorcida e leva tudo para o lado pessoal.

Se as coisas não estão dando certo é porque não gostam dele, tem inveja dele, perseguem ele, ou seja a culpa esta sempre no outro e não em si.

Outra questão a ser analisada é que a intensidade com que essa mania acontece varia de uma pessoa para outra, nunca será igual. Portanto é importante avaliar em que contexto essa pessoa esta inserida, como ela tem processado os acontecimentos traumáticos na sua vida.

É extremamente importante o acompanhamento psicológico nesse processo, até porque a pessoa acha que a reclusão é a solução para evitar os comentários negativos, as desaprovações e as recriminações.

É comum observar que a vítima não se dá conta de que apresenta essa mania, acredita realmente que as pessoas estão prestando atenção nela. Portanto é importante procurar ajuda!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Não se cobre tanto;
  • Procure algo que lhe dê prazer para aliviar o estresse;
  • Cuide-se;
  • Pratique meditação / yoga;
  • Não alimente algo que não é real;
  • Não acumule tantos sentimentos que não consegue dar conta;
  • Não pense em agradar a todos;
  • Não crie tanta expectativa no outro;
  • Tente enxergar o que esta a sua volta positivamente;
  • Não tenha vergonha de procurar ajuda;
  • Pratique exercícios físicos;
  • Se não consegue lidar com tudo isso, procure um psicólogo.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

 Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

A IMPORTÂNCIA DA AUTOESTIMA

Você já acordou naquele dia que nada pode afetar você? Ou levantou confiante, sem medo de falar sobre qualquer assunto?

É extremamente importante nos relacionar bem com o meio em que estamos inseridos, ou seja, com ou sem autoestima os desafios da vida estão presentes e temos que enfrentá-los de cabeça erguida. Mas será que todos tem essa confiança? Você já mediu em que nível esta sua autoestima ultimamente? Avaliar sua autoestima é a dica para você se conhecer melhor e saber como está o seu relacionamento com as pessoas.

Mas o que é autoestima ?

Autoestima – É a opinião e o sentimento que cada pessoa tem de si mesmo. “Como eu me percebo” “Como eu me vejo”. Começa a se formar na infância, a partir de como as outras pessoas nos tratam. Nesta fase pode-se alimentar ou destruir a autoconfiança, é de grande importância a validação, ou seja, os pais elogiarem seus filhos, darem importância a pequenas coisas que seus filhos constroem o ambiente em que a criança esta inserida não pode ser falho. Já a autoestima baixa geralmente está relacionada a falsos valores. Crença que é necessária aprovação da mãe ou pai.

Na realidade todos nós precisamos de fato de uma recompensa, estes condicionantes são muito poderosos e determinam algumas vezes nosso estado emocional. Todo mundo gosta de receber elogios, mas existem aqueles indivíduos que transformam um comentário negativo em construtivo, fazem da crítica uma aliada! Tudo vai depender de como estamos nos vendo, se estamos bem é claro que vamos transmitir coisas boas, porém se não estamos bem não seremos uma boa companhia para ninguém, nem pra si mesmo.

Algumas características da baixa autoestima:

– Insegurança                                                          – Negativismo

– Dúvidas constantes                                             – Depressão

– Ansiedade                                                             – Raiva entre outros.

– Necessidade de agradar os outros                     – Acha que a vida do outro é sempre melhor que a sua

Algumas características da autoestima elevada:

– Paz interior                                                             – Relações saudáveis

– Amor-próprio aumenta                                         – Satisfação pessoal

– Ansiedade e insegurança diminuem                    – Harmonia entre o que sente e o que diz

– Necessidade de aprovação diminui                     – Maior flexibilidade aos fatos

– Autoconfiança elevada

 DICAS DE BEM COM A AVIDA

  • – Pare de se comparar com o outro;
  • – Se ame sem se importar com o que outro vai pensar de você;
  • – Deixe o discurso vitimizado;
  • – Trate-se com carinho;
  • – Aprenda a gostar do que te faz bem;
  • – Faça uma reeducação amorosa;
  • – Não dê importância a opiniões negativas;
  • – Construa sua própria identidade;
  • – Pratique Meditação / Yoga;
  • – Pratique exercícios físicos.
  • – Reforce seus contatos e faça novos amigos;

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

 

MEDO: IMPACTOS POSITIVOS E NEGATIVOS

O medo é uma sensação natural do ser humano, que proporciona um estado de alerta demonstrado muitas vezes no momento que estamos ameaçados tanto fisicamente e psicologicamente, esta reação inicial dispara uma resposta fisiológica no organismo que libera os hormônios do estresse (adrenalina, cortisol) preparando o indivíduo para lutar ou fugir, o medo não patológico é benéfico nos coloca em estado de alerta! Também podemos destacar que o medo pode ter seu lado positivo e negativo, dependendo do contexto em que estamos inseridos.

O medo quando tem efeito positivo nos ajuda a ter mais cuidado com o que temos, prestamos mais atenção para não fazer bobagens, percebe-se quando o indivíduo sente-se ameaçado no trabalho, logo procura fazer tudo certo com medo de perder o emprego, adquirindo assim uma postura positiva no ambiente profissional perante amigos e chefia.

O medo muitas vezes fortalece nossos pontos fracos para vencer novos desafios. Você já pensou se tudo na vida fosse um mar de rosas? Será que estaríamos evoluindo, nos motivando a ter algo de bom na vida? Podemos destacar que nesse momento de crise que nosso país se encontra, as pessoas acabam entrando em pânico por se sentirem ameaçadas em seus trabalhos, e com isso estão se esforçando ao máximo para mostrar serviço, mostrar que são realmente necessárias dentro da empresa.

Portanto o medo muitas vezes nos tira da zona de conforto e nos faz correr atrás de novos desafios, provando que somos capazes de ir além do que imaginávamos. Pode-se dizer que o medo tem um efeito negativo quando afeta a memória, atrasa um projeto de vida e leva o indivíduo ao adoecimento outro fator que quase não se fala é que o medo exagerado também pode levar ao suicídio.

Segundo alguns teóricos os medos mais comuns são de barata, fantasma, palhaços, altura, viajar de avião, perda de um emprego ou de um ente querido. Infelizmente as pessoas nunca estão preparadas para viver uma perda, pensa-se sempre em ganhos, alegrias como se a vida fosse para sempre sem os altos e baixos. Quando esse medo sair do controle é necessário procurar ajuda de um profissional.

É importante frisar que o medo quando chega ao extremo pode ser doença, quando é irracional ou se manifesta diante de uma situação ou objeto que não apresenta qualquer perigo para a pessoa é caracterizado como fobia. Neste contexto o indivíduo evita a todo custo o objeto que lhe causa o medo exagerado. As fobias são acompanhadas de ansiedade e se não tratada pode levar o indivíduo a depressão.

Observa-se que as pessoas andam mais ansiosas e adoecendo cada vez mais, é necessário adquirir novos hábitos e assim garantir mais qualidade de vida, não se pode alimentar pensamentos de derrota, de medo e insegurança, ninguém adoece porque quer, mas pode contribuir para o adoecimento com pensamentos negativos!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Adquira autoconfiança;
  • Não alimente seus medos, mude a forma de pensar para gerenciá-los;
  • Caso este medo esteja fora de controle procure ajuda de um profissional;
  • Pense se esse medo tem fundamento;
  • Isolar-se não ajuda a superar o medo;
  • Procure as causas do medo para enfrentá-los;
  • Estabeleça prioridades;
  • Mais importante que pensar positivo e ter atitudes positivas;
  • Quanto mais cedo descobrir a causa do medo, mais cedo irá se livrar dele;
  • Controle sua ansiedade para ela não controlar você;
  • Esse medo exagerado não é parte de você! Procure ajuda!

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente

Dilza Santos