Pais e filhos

Depressão

Depressão na adolescência

Depressão na adolescência

A depressão na adolescência é um desafio para pais e especialistas, esse diagnóstico é difícil, por seus sintomas serem confundidos com sintomas relacionados as alterações comportamentais desta fase, portanto é extremamente necessário a avalição de um especialista, preferencialmente que trabalhe com adolescentes.

O papel da família é muito importante, o que se percebe neste contexto são críticas, julgamentos por falta de conhecimento, frases como: “Isso é frescura”, “ Isso é preguiça” ou “ Falta do que fazer” são comentários que não ajudam em nada esse adolescente, é fundamental o acolhimento, a escuta, olhar para seu filho e dizer “ estou aqui”, demostrar afeto, demonstrar que realmente se importa com ele.

É preciso observar o que esta acontecendo dentro de casa, muitos pais saem pela manhã e só voltam à noite e perdem a oportunidade de conhecer melhor os próprios filhos, outro fator que também contribui com a gravidade da depressão é a falta de conhecimento ou preconceito que acabam dificultando o diagnóstico, é preciso reforçar que depressão é uma doença, precisa ser tratada com seriedade, é uma das causas de morte crescente entre os jovens segundo a OMS.

Caso precise você pode contactar o Centro de Valorização da Vida que ajuda muitas pessoas com qualquer grau de depressão.

Talvez o maior problema seja realmente, falta de conhecimento e muito julgamento, enquanto fingir que a depressão não é um problema grave, essa epidemia ganhará força silenciosamente e contribuirá com a desvalorização da vida, infelizmente o final de uma doença cruel como essa é em sua grande maioria o suicídio.

Segundo pesquisas 90% das pessoas que cometem o suicídio sofrem de algum transtorno entre eles a depressão, dependência de álcool ou outras drogas. É importante ficar alerta aos sinais, pais, mães, irmãos e amigos próximos do deprimido, observar as mudanças de comportamento e procurar um especialista, em muitos casos é extremamente necessário à busca por um psiquiatra para se identificar se há algum distúrbio a ser tratado ou se há abuso de drogas, tudo tem que ser analisado minuciosamente e para isso se faz necessário a avaliação de um especialista.

Reduzir a taxa de suicídio é um desafio coletivo, todos tem que estar envolvidos, o silêncio tem que ser rompido, é alarmante o numero crescente de jovens que tem desistido da vida a troca de informações pode ser muito útil para diminuir esses índices.

É importante promover a vida, o amor, fase difícil todo mundo tem, mas é importante acreditar em um novo amanhã, uma nova chance de fazer diferente, conectar-se com algo positivo que nos faz adquirir forças para enfrentar nossos maiores desafios, e se não for possível passar por isso sozinho, vamos buscar ajuda, depressão tem tratamento, e o mais importante é dar esse primeiro passo, sozinho se torna difícil essa caminhada é procurar ajuda já é um grande passo neste processo.

Algumas características que pode-se observar na depressão

  • Irritação;
  • Mudança de humor;
  • Agressividade;
  • Isolamento;
  • Insônia;
  • Perda de interesse nas atividades normais;
  • Baixa autoestima entre outros…
  • Também podemos identificar reações físicas

Dores de barriga, má digestão, azia, flatulência, diarreia, dores de cabeça, e outras dores sem qualquer explicação cientifica.

Dica importante: Se conhece alguém que esta com depressão, não julgue, faça o acolhimento ou indique um especialista, mas não julgue!
Sempre chame algum especialista

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Fale com alguém sobre isso;
  • Sentir-se triste o tempo todo não é normal;
  • Pais: conversem com seus filhos;
  • É fundamental fortalecer os vínculos familiares;
  • Evite pensamentos negativos;
  • Praticas de atividade físicas ajudam muito;
  • Pais: Observem o comportamento de seus filhos;
  • Adolescente: Dê mais valor à vida!

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

Licença Maternidade: É o fim, e agora?

Licença Maternidade: É o fim, e agora?

Licença Maternidade

O término da licença maternidade é um momento para muitas mães angustiante, um verdadeiro pesadelo, as mamães de plantão sabem bem como é isso, surge àquela dor no peito, o frio na barriga, uma tristeza sem fim, taquicardia, falta de ar, medo e até a culpa fazem parte desse processo, afinal, é hora de voltar ao trabalho, para muitas mulheres isso é inevitável, para outras é o momento de pedir demissão e cuidar dos pequenos. Enfim, sempre é um recomeço.

É fato que os laços nesse período são fortalecidos (mãe e filho) e isso contribui para que esse seja um momento muito difícil para essa mãe e seu bebê, fato este que não acontece só no momento da volta ao trabalho no fim da licença maternidade, ocorre também quando a mãe vai deixar a criança na escola ou creche pela primeira vez, cena que se repete quase todos os anos.

É preciso aprender a lidar com as frustrações e perdas, fato este que faz parte do processo de crescimento do indivíduo, é “normal” essa sensação de insegurança, medo de onde e como deixar seu filho?

Muito se ouve: “Ninguém vai consegui cuidar do meu filho”. “Ele não vai sobreviver sem mim”. Reforço que muitas mães já passaram por isso e sobreviveram e você com certeza vai conseguir vencer mais esse desafio, seja forte, é importante passar segurança para seu filho.

Destaco também que o apoio da família e do companheiro é muito importante nesse contexto, entender e acolher essa mãe faz com que esse momento seja menos dolorido, é claro que a volta ao trabalho será difícil, mas não impossível, afinal é um novo recomeço para todos inclusive para a criança.

Uma dica importante é: antes da volta ao trabalho exercite esta ausência, peça a alguém de sua confiança que cuide do seu filho por alguns minutos, até para se observar seu comportamento frente a esse desafio da volta ao trabalho, isso ajuda no desapego.

Se a criança for para a creche procure conversar com amigos, aceite indicações, analise se a escola tem uma boa estrutura física, se tem segurança para a criança, converse com a pessoa que cuidará do seu filho, converse com mães que já conhecem a escola, observe, confie, relaxe e acredite! Uma vez mãe, sempre mãe!

As creches têm suas vantagens, esse espaço ajuda na socialização da criança, nos limites sociais, contribui positivamente para o desenvolvimento do seu filho, outro fator positivo é procurar algo próximo ao seu trabalho ou de sua residência para fugir do trânsito, é fundamental essa comodidade e a segurança da mãe e da criança nesse processo.

De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, organizado pelo Ministério da Educação (MEC), as creches e pré-escolas devem educar cuidar e proporcionar brincadeiras, contribuindo para o desenvolvimento da personalidade, da linguagem e para a inclusão social da criança.

Atividades como brincar, contar histórias, oficinas de desenho, pintura e música, além de cuidados com o corpo, são recomendadas para crianças que frequentam a escola nesta etapa.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Pesquise com calma onde ou com quem deixar seu bebê;
  • Confie no cuidador;
  • Dê tempo para o bebê se acostumar com quem vai cuidar dele;
  • Tenha sempre um plano B;
  • Não se culpe;
  • Passe segurança para seu filho;
  • Tente controlar a ansiedade para não adoecer;
  • Converse com mães que passaram por este processo e hoje estão tranqüilas;
  • Fique tranqüila quase 100% das mães já passaram por isso e sobreviveram;
  • Se não consegue lidar com tanta mudança procure um psicólogo.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Matriz: AV. Cláudio Protilho, N.º 365 Eliza Miranda Mall – Distrito Industrial – Manaus – Amazonas – CEP: 69077-738.

 Unidade I: Adianópolis.

 Unidade II: Vieiralves

 (92) 99127-6558

 dilza@dilzasantos.com.br

JOGOS VIRTUAIS: QUANDO A DIVERSÃO VIRA AMEAÇA

Esta circulando na rede (internet) um jogo chamado “Baleia Azul” tal jogo propõe 50 desafios aos adolescentes e sugere o suicídio como última etapa, mais uma brincadeira macabra que tem entrado em muitos lares silenciosamente, portanto fique atento ao que seu filho vê na internet, o que ele conversa o que esta sendo compartilhado nos grupos de whatsapp, as ameaças estão em toda parte, mas no mundo virtual tudo fica mais fácil, assim como tem os benefícios, há também os malefícios e no mundo virtual andam juntos. Muitas vezes uma brincadeira que parece inocente é uma arma fatal, esses desafios que ultrapassam os limites da vida, não é brincadeira é um convite ao caos, ao fim.

Essas brincadeiras macabras estão mais próximas do que se imagina, desafios bobos que os jovens se submetem e terminam em tragédia é preocupante, é necessário um olhar minucioso em tudo e todos a sua volta, crianças e adolescentes precisam de orientação, para não se tornarem presa fácil para pessoas mal-intencionadas que estão na internet. Principalmente as crianças, elas são indefesas, precisam de um adulto para defendê-las. Confiar é bom! Mas checar é melhor!

Muitas pessoas acabam se tornando vítimas desse mundo acelerado, estão vivendo no automático, ficam pouco em casa e dificilmente acompanham o cotidiano de seus filhos e essa tal “liberdade” não é saudável para essa criança e esse adolescente que tem apenas o mundo virtual como referência.

Fique atento se seu filho tem ficando muito tempo isolado no quarto, se tem evitado o convívio com a família ou amigos, se tem alterações no humor, se esta com uma tristeza que não passa nunca, observe o discurso dele, antes de qualquer ação os sinais se manifestam, sendo até um pedido de socorro silencioso que muitas vezes não são levados a sério. Infelizmente o índice de suicídio entre os jovens é alarmante e tem nos preocupado muito, a depressão, ansiedade e estresse também tem índices altíssimos em todas as idades e pouco se discuti sobre isso, infelizmente existe ainda um grande tabu frente ao tema suicídio!

Ano passado um garoto de 13 anos morreu enforcado, segundo a família do jovem após perder um jogo chamado Choking Game ou “jogo da asfixia” que acontece quando a pessoa interrompe o fluxo de ar com as mãos ou com objetos para induzir desmaios, tontura ou estado de euforia. O jovem teria sido desafiado a se enforcar, e a brincadeira macabra acabou mal. É preciso ficar atento infelizmente o perigo esta entrando com muita facilidade em nossos lares e as maiores vítimas são nossos filhos, vamos ter mais cuidado, ser mais cauteloso e desconfiado!

Confiar é bom! Mas checar é melhor!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Evite deixar seu filho sozinho em casa;
  • Evite deixar seu filho com estranhos;
  • Observe se há alguma lesão visível em seu filho, investigue, pergunte;
  • Determine os horários dessa conexão virtual, jogos online entre outros..
  • Conheça as pessoas com quem seu filho se relaciona;
  • Mantenha o diálogo, fortaleça os vínculos familiares;
  • Evite o acesso de pessoas estranhas em sua casa;
  • Não confie demais! Confiar é bom! Mas checar é Melhor!
  • Fiquem atentos as mudanças comportamentais do seu filho;
  • Aproxime-se do seu filho, converse, investigue sem ser invasivo;
  • Verifique as brincadeiras virtuais que ele costuma ter com os amigos;
  • Reforce que os verdadeiros amigos não colocam a vida do amigo em perigo;
  • Converse sobre os perigos da internet;

Click no link abaixo para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click no link abaixo para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou desse artigo ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

BRINCANDO SE FORTALECE VÍNCULOS FAMILIARES!

Não se pode levar tudo ao pé da letra! Você já ouviu essa frase? Costuma brincar com os amigos, nos finais de semana? Se faz presente nas brincadeiras com seus filhos (a)? Existe algum momento de sua infância que você sente saudade? Este final de semana estava em um local da cidade e observei alguns pais brincando com seus filhos em uma enorme piscina de bolinhas e o que não se imagina é que eles se divertem mais do que os pequenos.

A criança que existe dentro de cada um, desperta e surpreende. Percebi uma interação, um sorriso, uma alegria contagiante em alguns momentos que há tempos não se vê. São pequenos momentos que deveriam ser uma constante na vida das pessoas e infelizmente não é!

A correria do dia a dia, os compromissos, o estresse, os aparelhos eletrônicos em alguns momentos pareciam não existir…..Claro que aquela foto para registrar o momento não faltou, mas em alguns instantes aquela imagem gostosa de sorrisos, brincadeiras, interação, amor e alegria foi à marca deste dia tão especial.

As brincadeiras são fundamentais para as crianças conhecerem, experimentarem e entenderem o mundo.  Além de contribuir para o desenvolvimento das habilidades motoras, raciocínio lógico, linguagem, imaginação, emoções, socialização e autoestima entre vários benefícios.  A participação dos pais nesse processo lúdico é fundamental, estes são moldadores do desenvolvimento de seus pequenos.

A brincadeira entre pais e filhos fortalece os vínculos, estabelece uma linguagem saudável e afetuosa, a compreensão as regras as quais as crianças são expostas, reforça a compreensão de mundo, ou seja, une-se o útil ao agradável. As brincadeiras também são instrumentos para que os pais conheçam melhor seus filhos, uma atividade extremamente benéfica. Neste processo o adulto vivencia muitas vezes etapas da infância que foram esquecidas e esse resgate favorece e equilibra a relação entre pais e filhos que se torna contagiante e todos viram criança.

Ser criança é a melhor fase da vida, não acelere esse processo com seu filho, respeite o tempo da criança, criança precisa ser criança, mas não se pode deixar de estabelecer as regras, como também ela precisa aprender a lidar com as frustrações.  Nunca se brinca só por brincar, em uma simples brincadeira se observa muita coisa e o mais importante se aprende com isso, e aprender brincando é a melhor coisa.

Infelizmente não podemos deixar de destacar algumas infâncias traumáticas crianças reprimidas, crianças que sofreram abusos na infância, deixaram adormecer esse lado e quando chegam à fase adulta tem uma enorme dificuldade em lidar com algumas questões emocionais e isso precisa ser tratado. Tudo que incomoda precisa ser analisado com seriedade e investigado para não se estabelecer um diagnóstico errado. Não tenha vergonha de procurar ajuda, procure um especialista.

Veja o lado bom da vida procure curar as feridas da alma, seja um bom amigo, um bom profissional, um bom pai, um bom esposo, um parceiro de si mesmo, procure ajuda para curar o que te faz mal e seja feliz, brinque, sorria!

Dicas De Bem Com a Vida

  • Não leve tudo ao pé da letra;
  • Relaxe;
  • Interaja com seus filhos;
  • Brincar faz bem para a mente, o corpo e o espírito;
  • Não deixe morrer a criança que existe em você;
  • Você é o senhor do seu tempo, aproveite;
  • Viva bons momentos e faça deles um oxigênio para sua existência;
  • Observe com carinho as oportunidades que a vida lhe oferece, principalmente em familia;
  • Sorria, não só quando esta sendo filmado, mas sempre!

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

SÍNDROME DO NINHO VAZIO

A síndrome do ninho vazio é muito comum após a saída dos filhos de casa. Quando os filhos se tornam independentes e cada um resolve cuidar da sua própria vida os pais sentem essa ausência, principalmente a mãe. Neste contexto pode se instalar sintomas da depressão, muito comum nesse processo, esse sofrimento ocorre às vezes bem antes da fase adulta, quando os filhos resolvem estudar fora ou casam-se muito cedo.

O fato é que essa saída causa sofrimento, porém é importante observar se essa tristeza será prolongada ou não. A síndrome do ninho vazio é pontual, mas se este sofrimento perdurar e começar a interferir no cotidiano da pessoa, pode se transformar em depressão.

Infelizmente as mulheres nesse processo tem um outro vilão que contribui para esse estado emocional debilitado que é a menopausa, fato este que não pode ser ignorado, pois afeta muito a autoestima da mulher, muitas se acham feias, debilitadas, sem função nenhuma. É fundamental o papel da família nesse contexto, ocupar a mente fazer exercícios físicos, conhecer pessoas novas, cuidar da alimentação, fazer praticas meditativas também ajudam nesse processo.

A adaptação a uma nova realidade é fundamental nesse processo de mudança e leva tempo, porém não podemos descartar que cada pessoa tem uma reação diferente da outra, cada caso é um caso. Existem pais que encaram a saída do filho de casa com muita alegria, sentem-se orgulhosos em ver o filho conquistando seu espaço, se realizam com suas conquistas pessoais e profissionais.

Em outros casos, o sofrimento é visível causando até a depressão. Mesmo sendo certo que isso um dia vai acontecer nunca se prepara para tal fato. Às vezes é menos doloroso quando os pais participam desse processo, ou seja, no casamento, estudar fora, uma proposta de trabalho para outro país, momentos de alegrias que muitas vezes entram em conflito com o sentimento de tristeza deixado no momento da partida.

Quando a partida se deu por conflitos familiares ou morte é muito mais difícil, lenta e dolorosa a recuperação, ou seja, briga com os pais, irmãos ou morte a dor é muito mais intensa e tem maior duração. E sendo por bons motivos, como casamento, faculdade ou até mesmo morar sozinho, mas com a participação dos pais, o processo torna-se menos doloroso.

O que poucos filhos sabem é que nesse processo há uma inversão de papéis, com os filhos passando a ter o papel de pais, principalmente da mãe. O acolhimento, o amor, a atenção e muita tolerância são ferramentas indispensáveis nesse contexto. É fundamental que eles se sintam amados, importantes para a família que são e sempre serão amados por todos mesmo morando em outra casa.

 DICAS DE BEM COM A AVIDA

  •  Pensamento positivo;
  •  Esse recomeço é necessário para um novo ciclo;
  •  As mudanças fazem parte do ciclo da vida, não veja como problema;
  •  Converse com pessoas, aumente sua rede  de contatos;
  •  Você sempre foi e sempre será um excelente pai ou mãe;
  •  Cuide da sua saúde;
  •  Pratique atividades físicas;
  •  Ocupe sua mente com coisas boas;
  •  Seu filho continuará sendo seu filho;
  •  Crie novos hábitos;
  •  Se possível faça uma viagem com seu esposo, planeje uma nova lua de mel;
  •  Namore com seu companheiro, curta seu casamento;
  •  Planeje cuidar mais de você e de seu bem estar;
  •  Se possível mude de casa;
  •  Pratique meditação / Yoga;
  •  Tenha novos objetivos na vida;

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

O QUE VOCÊ QUER SER QUANDO CRESCER ?

Você lembra que na infância queria seguir a profissão de seu pai ou de sua mãe?  É comum quando se é criança desejar ter a profissão dos pais. Muitas crianças até usam o uniforme dos pais e imitam a fala autoritária do pai ou da mãe em suas brincadeiras. Além de ser extremamente importante o brincar para o desenvolvimento infantil, também faz parte da comunicação da criança com o ambiente e muitos pais ficam orgulhosos em ver sua criança imitando-os como gente grande. Só que o tempo passa essa criança cresce e na adolescência surgem inúmeros conflitos na hora da escolha profissional.

Na maioria das vezes aquela vontade infantil vira uma vocação e a visão daquela profissão nas brincadeiras de criança muda de figura. É importante frisar que essa paixão ou não pela profissão dos pais vai depender muito de como os pais inseriram isso na vida da criança, ou seja, será que foi saudável ou foi mostrado negativamente? Muitos pais chegam em casa e só falam do lado ruim de seus empregos. Isso com certeza têm um peso significativo no momento da escolha profissional.

De fato em muitas famílias se vê filhos seguindo a mesma profissão que o pai, uma profissão passada de geração em geração, porém vários fatores contribuem para que isso aconteça, uma delas é o incentivo dos pais, o acolhimento na hora da escolha do filho, discutir de forma aberta, tranquila sem imposições, também ajuda nesse processo. Destaco que essa escolha não pode ser por conta das facilidades ou mordomias que se tem a ilusão de existir é importante fazer uma escolha coerente.

A liberdade de se escolher a carreira profissional é fundamental para ter sucesso na vida, infelizmente o que se observa na maioria dos casos é que 90% dos pais já têm em mente a profissão que o filho vai seguir, muitos ainda nem nasceram e já são rotulados com tal profissão. É importante que essa escolha venha do filho, discutir de forma saudável as opções profissionais ajuda na hora da escolha, mas nada de exageros.

No final a decisão será dele e não sua. E isso não pode ser motivo de briga e sim de união, é necessário o apoio da família neste contexto. Muitas vezes a ajuda de um psicólogo nesse processo é extremamente eficaz.

Desejo a todos os pais um excelente dia dos pais, que este seja um dia de muitas alegrias, entre pais e filhos, que todas as adversidades sejam vencidas, que a paz, o amor seja constante em todos os lares! Feliz dia dos pais!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Respeite as escolhas de seu filho;
  • Seja amigo do seu filho, parceiro sempre;
  • Converse sobre sua profissão com seu filho sem imposições;
  • Demonstre todo o seu amor e apoio ao seu filho;
  • Discuta de forma saudável os desafios da carreira profissional;
  • Escute, evite conflitos;
  • Converse com a criança sobre o que ela deseja ser quando crescer;
  • Na adolescência oriente-o, a saber, mais sobre a profissão que escolher;
  • Não permita que seu desejo vire fixação;
  • Não deixe esse momento importante na vida do seu filho virar um drama;
  • Oriente sem influenciar;
  • Demonstre interesse aos planos futuros de seu filho;
  • Insira o tema profissão na família de forma saudável;
  • Dúvidas, conflitos, a orientação profissional ajuda nesse momento importante;
  • Entenda que seu filho só será bem sucedido na profissão se realmente gostar do que faz;

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

SONHO, TERROR NOTURNO OU PESADELO ?

Muitas vezes se acorda na noite com o coração disparado após um sonho ruim, e logo se sente aliviado por ter acordado e perceber que foi apenas um pesadelo.

Em outros casos o sonho é tão bom que ao acordar se lamenta por ter sido apenas um sonho, desejando que aquele sonho se realize principalmente se sonhou que ganhou na mega sena, ou acorda-se com o grito da criança no meio da noite, que em alguns casos fala coisas incoerentes e depois volta a dormir calmamente, e no dia seguinte não lembra nada. Episódios normais, porém se constantes podem contribuir para o adoecimento do indivíduo.

Então como podemos lidar com isso? E o que são pesadelos? Pesadelo quase a metade da população tem, são sonhos ruins que despertam medo, angústia, ansiedade e trazem uma carga emocional enorme, no caso de pessoas com problemas cardíacos é grave, podendo ser fatal. Na maioria das vezes se desperta quando ele termina. Por isso é mais fácil de lembrar. Assim como os sonhos, os pesadelos acontecem na fase do sono REM.

Os pesadelos podem acontecer por vários fatores, entre eles podemos destacar, o estresse, ansiedade, problemas no trabalho, divórcio, uso de substâncias químicas ou estresse pós-traumático como: estupro, roubo, perda de um ente querido entre outros. Em crianças que sofrem abusos e bullying, o pesadelo é uma das características observadas neste processo.

É extremamente importante o acompanhamento psicológico após episódios traumáticos, a ajuda de um profissional neste contexto contribui para superar o medo instalado após o trauma e o pesadelo descrito pelo paciente é um dos sintomas a ser investigado para complementar o diagnóstico.

Sonho, Terror noturno e Pesadelo é a mesma coisa? Não, sonhos são normais todos nós sonhamos, mas nem sempre se lembra do que sonhou. Freud foi um dos grandes pesquisadores do sonho, e na sua pesquisa diz que todos os nosso desejos frustrados são liberados por nossa mente inconsciente, definindo o conteúdo do sonho, geralmente como a realização de um desejo.

O Sonho para algumas pessoas tem um conceito religioso, místico enfim sempre traz uma “mensagem” ou um “alerta”, portanto é importante respeitar as crenças de cada um neste contexto. O Terror noturno é raro pode acontecer varias noites seguidas. Acontece em sua maioria com crianças podendo começar a partir dos dois anos de vida, a criança grita, fala coisas, lembra um ataque de pânico, porém não deixa traumas, e a criança não lembra o episódio.

Diferente do pesadelo que a criança lembra com detalhes e a sensação de medo é extremamente forte, causando um desconforto na hora de dormir, o acolhimento dos pais quando a criança passa por esses episódios é fundamental para que ela se sinta protegida e perceba que tudo aquilo não foi real, foi apenas um sonho ruim, ficar ao lado da criança até ela dormir é uma ótima estratégia.

 DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Evite leituras arrepiantes ou filmes de terror antes de dormir;
  • Não leve trabalho para cama;
  • Procure ouvir uma música relaxante para ajudá-lo a relaxar;
  • Pratique meditação ou yoga;
  • Pratique exercícios físicos;
  • Sorria não porque esta sendo filmado, mas sorria para a vida;
  • Respeite seu horário de descanso;
  • Evite o estresse ao extremo;
  • Evite grande quantidade de cafeína durante a noite;
  • Não usar álcool ou drogas alucinógenas;
  • Tenha paciência com a criança, ofereça um ambiente acolhedor quando ela sentir medo;
  • Cuide para que a criança não se machuque ao acordar assustada;
  • Ao observar que a criança tem pesadelos constantes procure um profissional.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

ADOÇÃO UM ATO DE AMOR SEM PRECONCEITOS

Recentemente saiu uma pesquisa na corregedoria nacional de justiça que quase metade dos pretendentes à adoção no país hoje aceita adotar crianças negras e 75% também não fazem restrições às pardas. Percebe-se uma mudança importante neste perfil, mas por que ainda se vê em pleno século XXI comportamentos preconceituosos?

É importante frisar que quando se decide adotar uma criança é preciso gerar dentro de si essa vontade, como se estivesse gerando um novo ser. Adotar é um ato de coragem, amor, livre de preconceitos, quando se decide ser mãe e pai também se decide criar um ambiente onde aquele pequeno ser se sinta acolhido, protegido, amado, principalmente quando essa criança já é grande e já tem um entendimento de que aquela família é a nova família dela e muitas vezes essa criança já passou por alguns lares ao qual não foi bem sucedido, é importante esse acolhimento, abraçar realmente esse novo projeto de vida.

Adoção não é brincadeira, envolve sentimento e responsabilidades afinal esse novo ser que esta entrando na família vai precisar de amor e atenção dobrada. A decisão de se adotar uma criança tem que ser do casal é preciso estar consciente da escolha de ser o pai e a mãe dessa criança. Independente de ser recém nascido ou crescido a adaptação da família é essencial para que tudo dê certo! Não se pode simplesmente adotar uma criança e depois dizer que não quer mais, cansou de ser mãe ou pai, adoção não é brincadeira!

O amor envolvido neste contexto e extremamente importante para suportar a espera, a frustração, a cobrança, o desgaste que faz parte desse processo. É preciso controlar a ansiedade para aguardar as decisões jurídicas que fazem parte da adoção, porém o encontro marcado cheio de emoção e alegria é a recompensa depois de tanta aflição na espera que parece não ter fim.

É fato que a ansiedade toma conta causando inúmeras reações, portanto manter a calma é essencial para a espera desse pequeno ser que breve estará contribuindo para a alegria da família. Adotar é amar o outro sem medo de ser feliz, sem preconceitos ou rótulos.

É um amor livre, saudável, puro e protetor! Com certeza se você esta passando por isso, o universo escolheu você para viver o melhor momento da sua vida. Ser mãe ou ser pai não depende de sangue e sim de querer exercer esse papel com dedicação e responsabilidade onde todos tem que estar envolvidos!

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Visite as instituições, conheça o contexto que envolve o processo de adoção;
  • Decida esse processo junto com seu parceiro;
  • Reflita se o ambiente esta favorável para esse novo ser;
  • Veja quais são suas prioridades neste contexto;
  • Converse com pessoas que já passaram por essa experiência;
  • Adoção não envolve preconceito, só amor;
  • Ame seu filho, ame muito sem pensar que ele foi adotado;
  • Quando decidir contar a ele sobre a adoção peça a orientação de um psicólogo;
  • Mesmo havendo dificuldades, não desista do sonho de ser mãe;
  • Envolver a família nesse processo ajuda muito;
  • Quem ama educa, sendo adotado ou não, fazer todas as vontades da criança como se quisesse recompensar algo não funciona;

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

http://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

http://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente

Dilza Santos