Doenças provocadas pelo uso excessivo da internet

Doenças provocadas pelo uso excessivo da internet

Doenças provocadas pelo uso excessivo da internet

doenças provocadas
Recentemente participei de um congresso onde o assunto abordado era as doenças provocadas pelo mau uso da internet. É alarmante o aumento das doenças causadas pelo uso desenfreado desta ferramenta que se torna eficaz e ao mesmo tempo prejudicial à saúde. É claro que ninguém adoece propositalmente.

É preciso estar alerta a alguns sintomas, as pessoas estão doentes e não percebem isso. Segue algumas doenças neste contexto.

  • Nomofobia:

    É aquela terrível sensação que algumas pessoas possuem de ficarem sem celular ou longe dele.

  • Síndrome do toque fantasma:

    É a sensação de sentir o celular vibrando no bolso da calça ou na mochila, sem que haja nenhuma chamada.

  • Náuseas Digital:

    É a sensação que algumas pessoas possuem ao interagirem com ambientes digitais, causando desorientação ou vertigem.

  • Transtorno de dependência da internet:

    Ocorre quando se possui uma vontade compulsiva em acessar a internet, mesmo que não se saiba exatamente o que fazer lá.

  • Depressão de Facebook:

    Ocorre em função das interações sociais dentro da rede ou a falta dessas relações.

  • Vícios em jogos online:

    É a compulsão por jogos online.

  • Hipocondria Digital:

    A pessoa que possui essa mal pensa que está com a doença sobre a qual leu na internet.

  • Efeito Google:

    É a tendência que afeta o cérebro humano em reter menos informações, pois ele sabe que as respostas estão ao alcance de alguns cliques.

Esses transtornos tem se tornado frequente principalmente entre os jovens, o uso excessivo da internet tem preocupado muitos profissionais do comportamento humano, é um desafio a ser vencido.

Cientistas da Universidade do Missouri, nos Estados Unidos, resolveram investigar como o Facebook pode afetar a saúde mental das pessoas e descobriram que os milhares de “likes” e “compartilhamentos” podem levar a sintomas de depressão por conta da inveja que desperta em certos usuários.

É importante frisar que esse contato nas redes sociais pode ser divertido e saudável se o usuário usa o site para se conectar com a família, velhos amigos, como também aumentar seu network. Mas quando essa ferramenta é usada sem limites, para bisbilhotar, fofocar, investigar se aquele amigo do trabalho esta bem financeiramente, se aquele indivíduo comprou um carro novo, ou como é feliz aquele velho amigo em seu relacionamento, coisas que podem incomodar, causar inveja pode levar quem pesquisa a depressão.

Uma vez que se estabelece uma doença relacionada com o uso da internet, é necessário que se busque ajuda de um profissional especializado, que poderá fazer o diagnóstico adequado e planejar a melhor intervenção para o caso.

Em muitos casos o paciente é levado pela família, o mesmo não percebe que esta doente, aceitar que precisa de ajuda muitas vezes é um processo lento, às vezes o paciente tem várias idas e vindas até realmente levar o tratamento a sério.

O importante é deixar claro que ele precisa de ajuda e que existem profissionais especializados para ajudá-lo neste processo.

DICAS DE BEM COM A VIDA

  • Veja o lado bom da vida;
  • Evite comparações;
  • Se perceber que essa conexão te faz mal evite;
  • Evite comportamentos negativos;
  • Ame-se;
  • Conecte-se com as pessoas a sua volta;
  • Converse com amigos e seus familiares fora das redes sociais;
  • Evite o isolamento;
  • Não faça da internet sua razão de viver;
  • Lembre-se nem tudo é o que parece ser;
  • Não fale dos seus problemas nas redes sociais, procure um especialista.

Click aqui para ler mais artigos sobre Qualidade de Vida e Bem Estar:

https://www.dilzasantos.com.br/noticias-e-publicacoes/

Click aqui para conhecer nossos serviços:

https://www.dilzasantos.com.br

Gostou dessa matéria ?

Deixe ou seu comentário, gostaríamos também de receber sugestões de assuntos que vocês gostariam de ver nas nossas publicações semanais.

Atenciosamente.

Dilza Santos

Deixe uma resposta